Na noite deste sábado, por intermédio de seu Twitter oficial, o Fluminense [VIDEO] divulgou que, até o momento, pouco mais de seis mil e quinhentos ingressos foram vendidos de forma antecipada para o confronto de domingo às 16h (Horário de Brasília), no Maracanã, diante do São Paulo, válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

A comercialização dos bilhetes recomeça a partir das 10h do dia do jogo nas bilheterias do local da partida e só se encerra após o fim do primeiro tempo. A expectativa da diretoria é por um público entre 15 a 20 mil pagantes. No domingo passado, também no Maracanã, cerca de 10 mil torcedores acompanharam a vitória de 1 a 0 do Fluminense sobre o Cruzeiro, gol marcado por Pedro aos cinco minutos do segundo tempo.

Naquela ocasião, o tricolor superou o fato de ter atuado com um jogador [VIDEO] a menos desde os 15 minutos da etapa inicial.

Pela manhã, o técnico Abel Braga dirigiu, no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, o último treinamento da semana. Apesar de não ter confirmado, ele já definiu qual time levará a campo. Na lateral-direita, para o lugar de Gilberto, suspenso por ter recebido o cartão vermelho, entra Léo, outro especialista da função. Na zaga, a novidade será Luan Peres, contratado junto à Ponte Preta, ao lado de Gum e Renato Chaves. Outro reforço apresentado recentemente, o volante Dodi, ex-Criciúma, também vai para o jogo, mas ficará como opção no banco de reservas.

Com essas novidades, o Fluminense [VIDEO] terá Júlio César no gol, Renato Chaves, Gum e Luan Peres formando o trio do sistema defensivo, Léo e Ayrton nas alas direita e esquerda, respectivamente, Richard e Jádson como dupla de volantes e o equatoriano Junior Sornoza sendo o único responsável por municiar os atacantes Marcos Júnior e Pedro.

Uma vitória sobre o São Paulo é considerada fundamental para as pretensões do Fluminense em não se distanciar do G-4 do Brasileirão. No momento, o tricolor, somando três pontos, ocupa o modesto 13º lugar na classificação da Série A. Como incentivo para aumentar a confiança da agremiação verde, branco e grená, está o fato de que há doze anos ela não sabe o que é ser derrotada pelo time do Morumbi dentro do Maracanã. O último revés dos cariocas no palco mais tradicional do futebol brasileiro foi em 2006, quando os paulistas, com gols de Aloísio Chulapa e Leandro venceram, de virada, pelo placar de 2 a 1. Tuta balançou as redes para a equipe das Laranjeiras.