Com o Flamengo tendo a Arena da Ilha do Governador, o Vasco sendo proprietário de São Januário e o Engenhão arrendado ao Botafogo, o Fluminense [VIDEO] se tornou o único dos quatro grandes a não ter um estádio próprio, situação que praticamente inviabiliza algumas medidas fundamentais para o levantamento do caixa da equipe das Laranjeiras. Buscando encerrar de vez essa grave pendência, o Tricolor, segundo reportagem publicada pelos portais Lancepress e Terra nesta sexta, está em vias de firmar uma parceria com o consórcio responsável pela gestão do Maracanã e, assim, tornar o estádio a sua casa.

Entrevistado pela dupla de repórter Alexandre Araújo e Luiza Sá, o CEO do Fluminense deu maiores detalhes sobre as conversas que vem tendo com a cúpula do Consórcio Odebrecht.

De acordo com o dirigente, a ideia não se restinge somente ao arrecadado nas bilheterias em dias de jogos.

“Estamos tentado achar um caminho, um conjunto de possibilidade que faz com que os jogos sejam viáveis”, explicou.

Em relação ao preço dos ingressos, Marcus Vinícius disse que eles não podem ter valores inferiores a R$ 50 e também esclareceu ser necessário um público mínimo de 18 mil pessoas por partida para evitar prejuízo tanto por parte do Fluminense quanto do Consórcio, algo que o dirigente, baseado na média de tricolores presentes ao estádio nos últimos cinco anos (20 mil torcedores), acreditarmos plenamente acontecer

Durante o Campeonato Carioca, o Fluminense, com a expectativa de reduzir os custos, adotou a prática de disponibilizar somente a parte inferior das arquibancadas do Maracanã na vitória de 2 a 1 sobre o Nova Iguaçu.

Questionado, Marcus Vinícius Freire revelou a intenção de repetir tal medida, no entanto, dependendo, da importância do compromisso, o anel superior também deverá ser aberto ao público.

“Cada jogo estudamos um formato. Para a televisão, é uma experiência melhor, para o torcedor e quem está vendo de casa também”, encerrou.

Firmada a parceria, o Maracanã terá todo o seu visual com algo relacionado ao Fluminense [VIDEO], como a estampa dos patrocinadores nos camarotes e vestiários customizados, uso do telão de forma diferente. além de uma loja fixa no interior do estádio para fazer ações de marketing.

Ainda sem o acordo oficializado, o Fluminense jogará no Maracanã na quarta que vem, a partir das 21h45 (de Brasília), contra o Nacional Potosi, da Bolívia, em sua partida de estreia na Copa Sul-Americana. Pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, no dia 22 de abril, retorna ao local para encarar o Cruzeiro. Até lá, a expectativa é de que tudo esteja sacramentado para o palco das finais da Copa do Mundo de 2014 e dos torneios de futebol (masculino e feminino) das Olimpíadas ser, verdadeiramente, uma casa verde, branco e grená.