O Palmeiras é a equipe favorita para conquistar a Copa Libertadores da América e, atualmente, todas as outras competições que disputa, pois na América do Sul não existem clubes com mais dinheiro do que o alviverde da capital.

Com o auxílio de seus patrocínios, mais especificamente o da empresa Crefisa, cuja proprietária é a empreendedora Leila Pereira, a diretoria palmeirense conseguiu montar um elenco recheado de muitos atletas de extremas qualidades.

O técnico Roger Machadou assumiu o começo do Verdão no começo da temporada, mas já havia sido contratado desde o final do ano passado, para ir conhecendo o elenco e já se adaptar aos jogadores que lá estavam, além de ter participado de todo o planejamento para esta temporada de 2018.

Queda de rendimento força mudança!

No começo do ano, o Palmeiras vinha fazendo uma campanha histórica neste Campeonato Paulista, portanto finalizou a competição com a melhor trajetória dentre todos os outros clubes, mas acabou barrado na final contra o arquirrival Corinthians.

Desde a derrota no Paulistão, o Palmeiras não sabe o que é ganhar jogos há três partidas, sendo que vem de uma derrota contra o Corinthians, um empate contra o Boca Júniors e outro empate contra o Botafogo.

Nas duas partidas em que o Palmeiras empatou, começou ganhando e cedeu o empate ao final do jogo, com falhas no setor defensivo, por este motivo que Roger foi cobrado por uma mudança na zaga.

A primeira mudança executada por Roger Machado foi de zagueiro, pois sacou o Thiago Martins da titularidade e esboçou um time titular com a dupla de zaga Edu Dracena e Antônio Carlos.

O goleiro continuará sendo Jaílson, nas laterais Diogo Barbosa e Marcos Rocha, já no meio de campo tem mais uma grande novidade. Anteriormente, Lucas Lima vinha sendo titular absoluto, mas agora Roger esboçou o time com Moisés de meia armador.

Moisés titular? E o Guerra?

Os torcedores vinham pedindo o Alejandro Guerra como titular, mas Roger quer colocar novamente o camisa 10 do Verdão fazendo essa função, não utilizando nenhum dos reforços galácticos.

Como volantes, atrás de Moisés, estão Felipe Melo e Bruno Henrique.

No ataque estão, como pontas-atacantes Keno e Dudu, já como centroavante continua Miguel Borja, ou seja, sem mudanças no setor ofensivo [VIDEO].

O novo sistema de Roger coloca Moisés como armador de jogadas e ele sempre atuou mais como volante, ou seja, vira um time mais defensivo [VIDEO].