Anúncio
Anúncio

Mesmo atravessando grande fase e vindo de três vitórias consecutivas, a última delas na Argentina, contra a equipe do Independiente, o Corinthians terá importantes mudanças para o jogo deste domingo (22), às 11 horas, contra o Paraná, no Estádio Durval de Brito, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Além disso, o time terá também um importante desfalque no banco de reservas.

A maratona que o Corinthians tem enfrentando nos últimos dias tem relação direta com as mudanças. Depois de jogar na quarta-feira (18), a delegação chegou ao Brasil somente na tarde de quinta-feira (19), tendo pouco tempo para se preparar para o confronto contra a equipe paranaense.

Na sexta-feira (20) os jogadores fizeram apenas um treino regenerativo e neste sábado (21), o técnico Fábio Carille comandou as atividades no CT do J. Malucelli, onde revelou as mudanças.

Anúncio

Mas o que muda?

As mudanças no time titular são de ordem física. Visando poupar os jogadores mais desgastados, a comissão técnica decidiu poupar os volantes Ralf e Maycon, além do atacante Clayson. Para seus lugares foram escolhidos Gabriel, Renê Júnior e Mateus Vital.

Jadson, que era outro jogador que estava cotado para ganhar um descanso, está confirmado no time titilar. Por outro lado, Emerson Sheik, que é reserva, mas tem tido importantes participações quando entra, nem viajou para Curitiba (PR) por conta de um torcicolo.

Assim, o provável time que Carille levará a campo terá o goleiro Cássio, Fagner na lateral direita, Balbuena e Henrique fazendo a dupla de zaga e Sidcley na lateral esquerda; Gabriel, Renê Júnior, Romero, Jadson, Rodriguinho formarão o meio de campo, com Matheus Vital mais avançado.

Anúncio

Reencontro

O jogo deste domingo (22) também marcará o reencontro de Fábio Carille com o clube com o qual, como jogador, foi campeão estadual em 1996. “Vejo esse retorno à Capanema com muita alegria. Todas as vezes que vou a Curitiba e à Vila Capanema relembro muitas coisas”, disse o agora técnico, que acumula três passagens pelo Tricolor.

Em 1996, ele trabalhou com os técnicos Sebastião Lazaroni e Antônio Lopes, dos quais disse ter aprendido muitas coisas, principalmente nas questões táticas. “Estes dois profissionais (Lazaroni e Lopes) me ensinaram muito, principalmente sobre o posicionamento da linha de quatro”, disse o atual campeão brasileiro.

“Me sinto abençoado por ter trabalhado com estes dois profissionais”, completou o treinador, que em menos de um ano e meio dirigindo o Corinthians também foi bicampeão paulista.

Anúncio