Messi não se esconde e depois de uma semana muito complicada, o astro argentino soltou o verbo. O craque do Barcelona não se esconde e já aceitou o pesadelo de Roma, e também o que aconteceu no Santiago Bernabéu, no qual quase aconteceu a mesma coisa, não fosse um pênalti milagroso de Cristiano Ronaldo [VIDEO] já no final do segundo tempo. O argentino foi um dos mais afetados em Roma, por um dos maiores ridículos da história da equipe.

Messi invejou Real Madrid

O Barcelona saiu pela porta dos fundos na Liga dos Campeões e o Real Madrid conseguiu se salvar, milagrosamente, de um final idêntico ao dos catalães, se colocando nas semifinais da competição com polêmica.

Uma controvérsia que não entrou na casa azulgrana, aonde eles chegaram a uma conclusão clara: o Real tem seus próprios méritos. Já Leo Messi é autocrítico. Enquanto o Real Madrid buscou a vitória até o final, o Barcelona se desmotivou e não teve coragem para reverter o resultado.

A verdade é que a situação foi muito idêntica. Barcelona e Real Madrid [VIDEO]estavam desperdiçando a vantagem de três gols do primeiro jogo, mas um pênalti salvou o Real já no final do segundo tempo. Um pênalti muito contestado pela Juventus, que não ficou de acordo com a decisão do juiz, mas Messi não se importa muito com isso. Para o argentino, o pênalti só caiu para o Real porque eles o procuravam, ao contrário do Barcelona, que pareceu não ter entrado no gramado. O Barça desistiu no 3 a 0, quando ainda tinham tempo para recuperar e fazer um gol decisivo e Messi não perdoa seus colegas por isso.

Leo inveja o orgulho de uma equipe, o Real, que sabe lutar até o fim.

Bayern no caminho do Real Madrid

Se a Juventus caiu da Champions, com queixas contra o juiz, no ano passado foi o Bayern que também contestou muito a eliminação contra o Real Madrid. Um ano depois, os dois colossos se reencontram. O Bayern chega às semifinais da Liga dos Campeões como um grande vencedor e dominador da Bundesliga, depois de ter deixado pelo caminho dois adversários mais acessíveis: Besiktas (5-0 no primeiro jogo, 1- 3 na volta) e Sevilha (1-2 e 0-0).

A passagem pelo Real Madrid permitirá calibrar o momento de uma equipe que, até agora, não sofreu muito na Alemanha ou na Europa. Apenas a derrota por 3 a 0 contra o PSG, em Paris, fez a equipe balançar e no final significou a despedida de Carlo Ancelotti. O treinador italiano perdeu a confiança dos pesos pesados ​​do vestiário, que o acusaram de não treinar o suficiente, e Jupp Heinckes veio ao resgate novamente.

Depois disso, tudo é sucesso em Munique.

A equipe da Baviera enfrentará o Real Madrid com uma ofensiva mais do que suficiente para causar dificuldades ao atual campeão europeu. A equipe apresenta como trunfos Thomas Müller, que está recuperando seu melhor nível no ataque alemão. Nas laterais, dois velhos conhecidos da Europa: Arjen Robben e Frank Ribéry.

James Rodríguez está emprestado pelo Real Madrid, mas vai a jogo. Em Munique, o colombiano recuperou seu melhor jogo e quer provar para Zidane que ele errou quando o dispensou. Finalmente, há o homem-gol Robert Lewandowski. O polonês vem sendo associado ao Real Madrid, mas certamente está bem interessado em mostrar todo seu valor para chegar na final da Champions.