O Palmeiras foi até Itaquera, nesse sábado (31), para encarar o Corinthians, pela final do Campeonato Paulista, e o artilheiro do torneio com sete gols marcados, Borja, deixou o dele na etapa inicial. Os mandantes forçaram para empatar o espetáculo, mas o placar de 1 a 0 permaneceu inalterado até o fim do confronto.

Quebrando uma sequência negativa de quatro jogos sem vencer o arquirrival, os palestrinos obtiveram a vantagem de empatar no jogo de volta, no próximo domingo, dia 8 de abril, às 16 horas (horário de Brasília), no Allianz Parque, que se sagram campeões do estadual após dez anos da última conquista.

Na ocasião, em 2008, o Verdão superou a Ponte Preta nas duas partidas que definiam para quem iria o troféu. 1 a 0 no Moisés Lucarelli, e 5 a 0 no Palestra Itália, antigo estádio do clube até 2010.

Para ter êxito contra o Alvinegro do Parque São Jorge, os comandados de Roger Machado tiveram que interromper uma série de derrotas sofridas no derby e impedir o alcance de um recorde por parte dos adversários.

O time de Carille teve a oportunidade de atingir uma quina, pois havia se sobreposto ao Alviverde três vezes em 2017 e uma em 2018.

O Verdão veio a campo com o esquema 4-2-3-1, formado por Jailson, Marcos Rocha, Antonio Carlos, Thiago Martins, Victor Luís, Felipe Melo, Bruno Henrique, Lucas Lima, Dudu, Willian e Borja.

O Sport Club Corinthians Paulista veio no 4-2-3-1, com Cássio, Fagner, Balbuena, Henrique, Sidcley, Gabriel, Maycon, Mateus Vital, Rodriguinho, Clayson e Emerson Sheik.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Palmeiras

Miguel Borja desequilibrou a favor dos visitantes aos 6 minutos do primeiro tempo, fez 1 a 0, posicionando-se bem entre os zagueiros para receber o passe de Willian na pequena área. O centroavante finalizou de primeira aproveitando rápido cruzamento. Artilheiro do torneio com sete gols, Borja balançou as redes de Cássio em partida que marca o seu retorno após servir a seleção colombiana.

A fiel torcida continuou incentivando.

Eram 43.535 pessoas fazendo pressão para reação do time da casa. Foi o recorde de público do campeonato. Os anfitriões tiveram oportunidades de igualar o placar com Mateus Vital aos 9’, e Clayson aos 20’, mas Jailson defendeu as tentativas.

Maycon também chegou na frente para finalizar aos 22’, mas a bola saiu perigosamente pela linha de fundo. Emerson Sheik chutou buscando acertar o ângulo do de Jailson, aos 38’, mas sem sucesso.

Quando o cronômetro se aproximava dos 46’ um lance de jogo envolvendo Borja e Henrique foi o estopim para momentos de empurra-empurra entre os atletas das duas agremiações. O árbitro Leandro Bizzio Marinho deu quatro cartões pela confusão. Borja e Henrique foram amarelados, Felipe Melo e Clayson foram expulsos.

Na volta do intervalo os times não criaram chances claras de gol. Aos 38’, Rodriguinho tentou alegrar o público, assim como fez contra o São Paulo, no meio de semana, mas parou em Jailson, que foi buscar um chute colocado do meia.

O derby terminou com vantagem para o Palestra, que pode empatar no Allianz Parque que levanta o seu 23º troféu regional.

Em 101 anos de disputa do clássico, o Timão nunca alcançou cinco triunfos consecutivos sobre a Sociedade Esportiva Palmeiras. A maior série de sucessos seguidos pertence ao rival da Barra Funda, com seis jogos ganhos, entre 1931 e 1934.

Cartões amarelos

  • Timão - Henrique, Romero, Gabriel e Maycon.
  • Verdão - Willian, Borja, Lucas Lima, Bruno Henrique, Dudu e Thiago Santos.

Cartões vermelhos

  • Casa - Clayson.
  • Fora - Felipe Melo.

Substituições

  • Corinthians - Sidcley por Àngel Romero, Mateus Vital por Pedrinho, e Sheik por Danilo.
  • Palmeiras - Borja por Moisés, Victor Luis por Diogo Barbosa, e Bruno Henrique por Thiago Santos.
Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo