O tempo de cofres magros do Santos tem feito as contratações para a atual temporada [VIDEO] serem escassas e a diretoria recorrer a empréstimo de jogadores ou até mesmo à criatividade para conseguir trazer reforços ao time de Jair Ventura. Por outro lado, existem jogadores que pouco têm sido aproveitados pela comissão técnica, mas que resultam em grandes quantias pagas mensalmente com salários e outras despesas.

Somente o lateral-esquerdo Caju, o volante Leandro Donizete, [VIDEO] o zagueiro Cléber Reis e com o meia-atacante Rafael Longuine, custam, juntos, mais de um milhão por mês ao clube e agora a diretoria pretende se desfazer desse quarteto para usar as economias para trazer novos reforços que possam ser efetivamente utilizados ou garantir a permanência dos que já estão no clube, como o caso do atacante Eduardo Sasha, que é apontado como o melhor reforço deste início de temporada e também o lateral-esquerdo Dodô, que chegou para resolver os problemas na posição.

Esses dois jogadores vieram do Internacional e da Sampdoria, respectivamente, por empréstimo, e o presidente José Carlos Peres já avisou que exercerá a prioridade de compra desses jogadores, mas, para isso, ainda corre atrás de recursos. O mandatário chegou a comentar que os valores pedidos pela dupla estão dentro da realidade do clube.

O gasto com atletas que estão sendo pouco usados, inibiu o clube a tentar trazer jogadores considerados como apostas, como foi o caso de Caio Henrique, que estava praticamente acertado com o Peixe, mas acabou indo parar no Paraná Clube.

Destino de cada um deles

Do quarteto citado, o zagueiro Cleber é o que está com sua situação mais bem encaminhada, e deverá assinar com o Paraná Clube, com o Santos arcando com parte de seus vencimentos. O defensor nunca chegou a engatar uma sequência de jogos na Vila Belmiro e na temporada passada já havia sido emprestado ao Coritiba.

No começo do ano chegou a ficar perto de um acerto com o Vasco, também por empréstimo, mas foi convencido por Jair Ventura a permanecer.

Rafael Longuine, outro que também foi emprestado ao Coritiba, no ano passado, é um dos poucos jogadores que não entrou em campo neste ano, apesar de Jair Ventura ter utilizado praticamente três times ao longo do Campeonato Paulista. A nova diretoria ainda se assustou ao saber o valor de seu salário, maior do que o de Victor Ferraz, que é titilar absoluto.

Já o caso de Leandro Donizete é o mais complicado de todos. Sem atuar desde o ano passado, o experiente volante custa em torno de 300 mil mensais aos cofres do clube e, sem conseguir achar um time interessado em sua contratação, a diretoria santista já estuda até mesmo a rescisão de seu contrato.