A eliminação do Santos nas semifinais do Campeonato Paulista deu ao técnico Jair Ventura tempo para treinar o time, implantar melhor seu sistema de jogo e, acima de tudo, recuperar atletas que já vinham sofrendo com o desgaste [VIDEO] do intenso início de temporada que foi este ano, quando em menos de três meses, o time já havia entrado em campo 19 vezes, sendo 16 pelo estadual e outras três pela Copa Libertadores da América.

No entanto, isso não significa que o time possa ficar imune a lesões [VIDEO], como o que aconteceu com o jovem Diogo Vitor. O meia sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e já é dúvida para a estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Ceará, marcada para o próximo sábado (14), às 21 horas, no estádio do Pacaembu.

A expectativa do Departamento Médico é que sua recuperação seja breve e ele já iniciou tratamento para tentar ficar em condição de entrar em campo no dia do aniversário do clube. Nesta temporada, Diogo Vitor participou de dez jogos e marcou um gol, o de empate no clássico diante do Corinthians, também no Pacaembu.

No jogo de sábado, que fará parte das celebrações do aniversário de 106 anos do clube, o Peixe buscará também quebrar um incômodo tabu. Há 12 anos que o time não vence em estreia de Campeonato Brasileiro. O último triunfo data o ano de 2005, quando o alvinegro bateu o São Caetano por 4 a 1, no Anacleto Campanella, que teve portões fechados. Deivid, em duas oportunidades, Robinho e Edmilson, anotaram os gols do Santos, que desde então fez outras 12 estreias, perdendo nove e empatando três.

Abafou contusões

Gabriel foi um dos jogadores que entraram na seleção do Campeonato Paulista, cuja premiação ocorreu na noite desta segunda-feira (9). Durante a cerimônia, o centroavante, autor de quatro gols na competição, fez uma importante revelação. Ele disse que está se recuperando de uma torção no tornozelo e também de um problema na coxa. Ambos os problemas não foram divulgados pelo clube alvinegro.

“Muita gente não soube, mas tive muitas lesões ali no meio do Campeonato Paulista”, disse o camisa 10 santista, que não atuou contra o Estudiantes por estar cumprindo suspensão. “Depois do jogo contra o Santo André (válida pela 11ª rodada do Campeonato Paulista), eu torci o tornozelo, machuquei a coxa e isso ficou escondido”, continuou o jogador, que admitiu ter jogado na altitude, contra o Real Garcilaso, do Peru, pela primeira rodada da Copa Libertadores no sacrifício. Ele ainda defendeu o treinador Jair Ventura, dizendo que o treinador não o estava segurando, pois sabia que ele estava machucado. Gabriel não deve ser problema para a estreia do Santos no Campeonato Brasileiro, próximo sábado (14), contra o Ceará, no estádio do Pacaembu, em São Paulo.