Mais do que um presente de aniversário para a torcida, a vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Ceará, nesse sábado (14), no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, também colocou o fim a um incomodo tabu que perseguia o Peixe há mais de dez anos e mostrou que a equipe do técnico Jair Ventura mais uma vez vem forte para brigar pelo título do Campeonato Brasileiro.

Apesar das vendas de ingressos terem sido tímidas ao longo da semana, até sexta-feira a noite (13) pouco mais de seis mil entradas haviam sido comercializadas, o público mais uma vez compareceu e bom número, ultrapassando a marca de 15 mil presentes (pouco mais de 12 mil pagantes), mostrando que a decisão de levar alguns jogos para o Estádio do Pacaembu foi acertada.

Publicidade

Gol contra abre caminho da vitória

Apesar da pressão apresentada pelo Santos durante todo o primeiro tempo, o primeiro gol da partida foi sair apenas aos 41 minutos, quando Guedes fez cruzamento, a bola bateu em Dodô. Éverson ainda tentou tirar, mas bola desviou em Pio e foi para as redes. A arbitragem assinalou gol contra do jogador do Ceará.

O placar foi definido logo no começo da etapa complementar, quando, aos 4 minutos, Gabriel toou para Eduardo Sasha, que cruzou para Rodrygo desviar para o gol, fazendo 2 a 0 para o Peixe e quebrando um tabu que vinha desde 2005.

Quebra de tabu

Mais do que os três pontos na tabela, a vitória também colocou fim a um incômodo tabu. Desde 2005, quando venceu o São Caetano, por 4 a 1, no Estádio Anacleto Campanella, o Santos não estreava vencendo no Campeonato Brasileiro. De lá para cá, foram nove empates e três derrotas na primeira fase da competição nacional.

No ano passado, o time havia ido até o Maracanã, onde foi batido pelo Fluminense por 3 a 2. Nos sete anos anteriores, o Alvinegro teve que amargar empates, tanto na Vila Belmiro quanto fora de casa.

Publicidade

Fim dos testes

Durante o Campeonato Paulista, o técnico Jair Ventura disse que a intenção da comissão técnica era colocar todo mundo para jogar e analisar melhor seus jogadores. Agora, após a vitória contra o Ceará, o treinador mudou o discurso e afirmou que a época de testes acabou.

Ainda buscando um camisa 10, o treinador disso que espera dar oportunidades para jogadores do elenco, mas isso não significa que os testes seguirão. “Oportunizar não quer dizer testes, porque os testes acabaram”.

O que vem pela frente

Passada a semana de seu aniversário, o Santos agora terá uma de folga antes do duelo do próximo sábado (21), diante do Bahia, no Estado da Fonte Nova, pela segunda rodada do Brasileirão.

Na sequência, o time recebe o Estudiantes, no dia 24, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América, quando poderá deixar sua classificação para a segunda fase bem encaminhada. Já a partida contra o Vasco, pela terceira rodada, será disputada apenas no dia 16 de julho, no Estádio do Pacaembu.