Entre as saídas já confirmadas e algumas especuladas de jogadores [VIDEO], a diretoria do São Paulo também corre para manter algumas peças em seu elenco e nesta terça-feira (24), anunciou a renovação de contrato com um de seus jogadores titulares, menos de um ano após sua chegada ao Morumbi.

O zagueiro equatoriano Arboleda, cujo vínculo original vencia em 2021, teve seu acordo renovado com o prazo estendido em mais um ano, sendo agora válido até 2022. “Estou muito contente com esta renovação, principalmente pelo apoio que recebo da torcida”, disse o atleta, que também fez questão de agradecer ao apoio da diretoria do Tricolor.

Contratado na temporada passada, quando o clube atravessava uma situação complicada dentro do Campeonato Brasileiro, o zagueiro, que também defende a seleção de seu país, ganhou a condição de titular absoluto do time e hoje veste a camisa 5, a mesma que no passado pertenceu a Diego Lugano. “Cheguei como um desconhecido, mas agora conto com o reconhecimento de todos”, disse o defensor.

Arboleda e o São Paulo estarão em campo no próximo domingo (29), quando enfrentam o Fluminense, às 16 horas, no estádio do Maracanã, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. [VIDEO] O Tricolor, ao lado do Grêmio, são as únicas equipes que ainda não sofreram gols no campeonato. Em dois jogos, a equipe do técnico Diego Aguirre soma quatro pontos ganhos.

Negociações cada vez mais complicadas

Na contramão das negociações com Arboleda, o São Paulo não está conseguindo chegar a um entendimento com relação a renovação de contrato, que vence em janeiro do ano que vem, com Éder Militão.

De acordo com informações colhidas nos bastidores do clube, a reunião feita na última sexta-feira (20), com Raí não surtiu efeito prático e as conversas seguem estagnadas. Manchester City e Porto surgiram como equipes interessadas em contar com o Futebol do jogador.

Temendo que o jogador possa sair de graça ao fim de seu contato – no meio do ano já pode assinar um pré-acordo com qualquer equipe – a diretoria do Tricolor estuada propor uma série de vantagens ao jogador, como ceder porcentagem nos direitos econômicos, dar um aumento significativo de salário e ainda incluir uma cláusula de liberação flexível.

Outra atitude ainda mais drástica por parte do São Paulo seria vender o jogador por um preço mais baixo do que ele vale antes da metade do ano, para pelo menos não correr o risco de ficar com as mãos vazias.