Em meio às dificuldades de renovação de contrato com alguns jogadores [VIDEO] que vem enfrentando nos últimos tempos, dentre eles Éder Militão, que pode sair de graça ao final do ano, apesar de estar avaliado em 90 milhões de reais, a diretoria do São Paulo anunciou a extensão do acordo com o meia Lizieiro.

O acordo foi ampliado em três anos, e agora será válido até 30 de abril de 2023. “Estou muito feliz com este reconhecimento do clube, porque mostra que estou no caminho certo”, celebrou o jogador em entrevista ao site oficial do clube após a divulgação do novo acordo. Ele também disse estar motivado e espera retribuir com boas atuações e conquistas.

Lizieiro fez parte do elenco do Tricolor que foi vice-campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, no início do ano. Em março foi promovido à equipe profissional e hoje é titular na equipe dirigida por Diego Aguirre. Ele estará em campo neste domingo (29), quando o São Paulo encara o Fluminense [VIDEO], às 16 horas, no Maracanã, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

Arrecadou quase 200 milhões com vendas

Um balanço divulgado pelo São Paulo, referente ao exercício de 2017 e já aprovado pelos conselheiros, revelou que o clube teve um saldo positivo (superávit) de pouco mais de 15 milhões de reais. Esses números foram graças à venda de jogadores, que totalizaram 188,6 milhões de reais, sendo 164,6, líquidos.

A maior venda desse período foi a de David Neres, para o Ajax da Holanda, por 39,6 milhões de reais.

Descontados os repasses para intermediários, o clube arrecadou 36,476 milhões de reais. E seguida a aprece a transferência de Luiz Araújo para o Lille, da França, que foi vendido por 36,4 milhões de reais. Descontando comissão de intermediários e também a participação de terceiros nos direitos federativos, a negociação rendeu 26,174 milhões ao Tricolor.

O clube também apresentou aumento tanto nas receitas quanto nas despesas do departamento de futebol profissional e de base. As receitas bateram 423,7 milhões de reais, contra 337,2 do exercício anterior. Já as despesas saltaram de 270 milhões para R$ 354,7.

As dívidas bancárias com terceiros caíram drasticamente, passando de 154,1 milhões de reais em dezembro de 2015 para R$ 99,4 no final do ano passado. Hoje ela ainda e menor, estando em 93 milhões de reais. Por outro lado, a arrecadação com o programa sócio-torcedor apresentou queda, passando de 13,6 para 10,7 milhões.