Ainda em branco no Campeonato Brasileiro, o atacante Arthur, do Ceará, anotou, na noite de quarta-feira, dia 10, o seu 17º gol na temporada, em 26 partidas, no empate em 3 a 3 contra o CRB pelas quartas-de-finais da Copa do Nordeste. Foi, com certeza, a melhor comemoração que o jogador poderia fazer para festejar a sua transferência para o Palmeiras [VIDEO].

A equipe alviverde venceu o Corinthians [VIDEO] na disputa pelo jogador de 20 anos, considerado a grande revelação do futebol cearense nos últimos anos. Apesar de detalhes burocráticos ainda terem de ser resolvidos para oficializar a transação, o negócio já é considerado como certo.

Além do Corinthians, estavam na briga pelo jogador Flamengo, Atlético Mineiro, Cruzeiro e Grêmio. Analistas apontam três fatores para o Palmeiras ter vencido a corrida pelo atacante.

Primeiro fator: valor da oferta

O primeiro deles foi a oferta. O time do Parque Antártica vai pagar R$ 5 milhões por 50% dos direitos econômicos do jogador. A multa rescisória do contrato de Arthur estava em R$ 12 milhões. Esse valor foi alinhavado entre o clube e os representantes do jogador recentemente, quando foi prorrogado o contrato do jogador até 2021.

Antes a multa era de R$ 4 milhões. Nesse acerto, o salário do jogador, promovido aos profissionais no ano passado, passou de R$ 2 mil para R$ 50 mil.

Com a oferta palmeirense, caso o atacante seja negociado com algum clube do exterior (ou mesmo nacional, o que é improvável em um primeiro momento), o Ceará ficará com metade do valor obtido com a venda.

Segundo fator: melhor vitrine

O segundo é o fato do Palmeiras ser considerado uma das maiores vitrines do futebol brasileiro para os clubes do exterior. As vendas do atacante Gabriel Jesus para o Manchester City e do zagueiro Mina para o Barcelona são exemplos disso.

Dessa forma, os agentes do jogador, Paulo Pitombeira e Luiz Portela, apostam em uma valorização astronômica no valor de mercado de Arthur e, assim, vislumbram uma grande negociação futura, principalmente se o jogador confirmar a expectativa de estourar com a camisa palmeirense.

Terceiro fator: liberação só em 2019

O terceiro fator é que o jogador não terá de deixar o Ceará imediatamente. O Palmeiras aceitou deixar Arthur no clube cearense até o fim de 2018, possibilitando que o clube tenha uma importante arma nesse seu retorno à elite do futebol brasileiro (o Ceará conquistou o acesso depois de ficar na terceira colocação da Série B do ano passado).

O próprio Arthur acredita que possa colaborar com a permanência do clube na Série A, apesar de ter ficado no banco nos últimos dois jogos - não atuou no empate em 1 a 1 contra o Corinthians e entrou somente aos 32 minutos do segundo tempo no jogo de quarta-feira contra o CRB, pela Copa do Nordeste, para marcar o gol que garantiu o empate ao Ceará aos 44 minutos.