Um time estar às vésperas de uma decisão importante de campeonato é sinal de que tudo está em paz e o elenco está de bem com a torcida. Não para o Sporting, que no próximo final de semana fará a final da Taça de Portugal contra o Desportivo Aves, mas está em pé de guerra com seus torcedores, que nesta terça-feira (15) protagonizaram cenas de violência no CT do clube, deixando feridos e piorando ainda mais a situação da equipe.

Este é apenas mais um capítulo da crise que o time vem atravessando e que aumentou após a perda da vaga da na próxima Liga dos Campeões da Europa. A equipe ainda não se pronunciou sobre o corrido, que pode ter desfecho desastroso.

Até o momento, as autoridades lusas haviam detido 21 invasores e vários jogadores deram queixa à polícia.

Cerca de 50 torcedores [VIDEO]encapuzados invadiram o centro de treinamento onde os jogadores se preparavam para a decisão de domingo (20). Segundo informações da imprensa daquele país, o grupo portava barras de ferro, cintos e tochas. Além dos atletas, funcionários do clube e até mesmo o técnico [VIDEO] Jorge Jesus foram agredidos. O treinador levou uma cabeçada.

A invasão deixou os jogadores receosos e muitos deles querem romper seus contratos e deixar Lisboa o quanto antes, abrindo até mão de jogar a partida que vale título. O elenco conta com dois brasileiros, um deles é o volante Bruno César, com passagens por Corinthians e Palmeiras, que vem tratando de uma lesão. Em contato com o portal UOL Esporte, o jogador está bem fisicamente, porém está “psicologicamente arrebentado”.

O outro brasileiro do clube luso é Wendel, cujo último time no Brasil foi o Fluminense. Frederico Mendes, que é seu empresário, ainda não conseguiu contato com o jogador.

Um dos principais alvos dos furiosos torcedores foi o holandês Bas Dost. De acordo com informações do canal de televisão CMTV, o atacante chegou a ser espancado por alguns invasores, sofrendo golpes na cabeça e nas pernas. Já a emissora TVI vai mais além e afirmou que o fisioterapeuta do clube chegou a ser esfaqueado.

Fogo amigo foi o estopim

A crise no Sporting começou logo após a eliminação da equipe na Liga Europa para o Atlético de Madrid, no mês de abril. Na ocasião, o presidente Bruno de Carvalho fez pesadas críticas públicas ao grupo de jogadores, chegando a chamá-los de mimados e afastar 19 deles durante algumas semanas, o que deixou o clima tenso e os fez cortar relações com o mandatário.

A perda da vaga na próxima Liga dos Campeões, ao ficar apenas em terceiro lugar no Campeonato Português, agravou ainda mais a situação.