O futebol dará uma nova chave ao atacante Jobson. Depois de ser suspenso [VIDEO] pela FIFA por doping – pena que terminou no último mês de março -, e posteriormente ficar preso sob a acusação de estupro, o jogador deixou a prisão há duas semanas e agora acertou com o Brasiliense, clube que o revelou em 2007 e que disputa o Campeonato Brasileiro da Série D.

A diretora do clube, Luiza Estevão, filha do ex-senador Luís Estevão, confirmou que o jogador chegará ao clube nesta quarta-feira (9), quando assinará contrato. Luiza contou que o jogador procurou o clube pedindo uma segunda chance e que eles estão dispostos a ajudá-lo tanto na parte profissional, quanto na pessoal.

“Ele entrou em contato conosco, pedindo uma segunda chance”, disse a dirigente.

De acordo com os advogados de defesa do jogador, ele teve a prisão preventiva revogada por conta da morosidade da Justiça e agora responderá o processo em liberdade. Ele é acusado ter participado do estupro de quatro mulheres, na época menores de 14 anos, em junho de 2016.

O Brasiliense é o segundo colocado de seu grupo no Campeonato Brasileiro da Série D, com seis pontos em três jogos. O próximo compromisso da equipe será no sábado (12), quando vai até o Mato Grosso do Sul encarar o Corumbaense.

A acusação

Suspenso do futebol pela FIFA por uso de doping, Jobson se envolveu em um caso de estupro de vulnerável durante uma festa realizada em uma chácara na cidade de Couto Magalhães, em Tocantins. A acusação foi feita por quatro mulheres, que disseram ter mantido relações quando estavam sob o efeito de bebidas alcoólicas e outros entorpecentes colocados na bebida.

Mesmo que estivessem conscientes, o ato seria considerado crime, uma vez que a lei penal brasileira, um adulto maior de idade manter relação, mesmo que consensual com alguém menor é considerado estupro.

No final de agosto do ano passado ele deixou a cadeia, [VIDEO] mas tinha que usar tornozeleira eletrônica, não podendo deixar a cidade onde mora sem autorização da Justiça. Porém no mês seguinte ele deixou o perímetro por oito vezes e por conta disso acabou retornando à prisão poucas semanas depois. Em fevereiro último ele pediu para ser transferido do presídio de Colmeia, pois estava sendo ameaçado por outros detentos, que lhe pediam 300 reais por semana.

Sem poder jogar profissionalmente, Jobson atuava em campeonatos amadores, porém acabou suspenso por seis meses em um torneio em Conceição do Araguaia depois de agredir um árbitro.