A noite de quinta-feira (10) começou com susto e terminou com alívio para o torcedor do Santos que foi até a Vila Belmiro acompanhar a estreia do Peixe na Copa do Brasil [VIDEO]. Depois de sair atrás no marcador, o time se encontrou em campo e bateu o Luverdense pelo placar de 5 a 1, resultado que lhe dá ampla vantagem para o jogo de volta, com o time podendo perder por até três gols de diferença. Tamanha folga para o segundo jogo faz o treinador pensar em optar por uma arriscada decisão.

Com uma grande maratona de jogos pela frente até a Copa do Mundo, que inclui o próprio jogo de volta contra o Luverdense, a partida diante do Real Garcilaso pela Copa Libertadores da América e várias rodadas do Campeonato Brasileiro, incluindo dois clássicos, contra São Paulo e Corinthians, o treinador cogita poupar algumas de suas principais peças para o duelo no Mato Grosso.

Mesmo já não sendo segredo que alguns jogadores ganharão merecido descanso no jogo de volta, Ventura preferiu fazer mistério sobre quem não irá ao Centro-Oeste. “Vamos sentar com a fisiologia e depois a gente vê”, disse o treinador em entrevista coletiva após a parida.

A preocupação com o desgaste físico fica mais evidente quando isso começa a se refletir na escalação. No jogo desta quinta, David Braz e Léo Cittadini [VIDEO] ficaram de fora por questões médicas. O zagueiro não atuou por ter voltado a sentir um edema na panturrilha direita, sofrido ainda no duelo contra o Nacional, pela Libertadores. Já o volante sofreu uma entorse no tornozelo. Alison chegou a ser dúvida para a partida, porém foi para o jogo, mas saiu no segundo tempo.

Concorda com os protestos

Os recentes protestos da torcida do Santos, principalmente após a goleada sofrida para o Grêmio, no último final de semana, pelo Campeonato Brasileiro, também foi levantado na coletiva com Jair Ventura.

O treinador não tirou a razão dos torcedores e faria o mesmo se estivesse na posição deles.

“Se eu fosse torcedor, também faria um protesto”, afirmou. Para ele, a única forma de se reverter essa situação é com muito trabalho, como o que aconteceu na vitória contra o Luverdense. “Como passado é imutável, temos de fazer um futuro melhor”, disse. “Não dá para apagar o que aconteceu em Porto Alegre”, prosseguiu.

O jogo de volta contra o Luverdense está marcado para a próxima quinta-feira (17), no Passo da Emas. Antes, o time volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro, pelo qual joga neste domingo (13), às 19 horas, na Vila Belmiro, contra o Paraná Clube.