Depois de quatro horas de voo, o Fluminense [VIDEO] chegou à Bolívia no início da noite desta terça. Na próxima quinta, às 21h45 (de Brasília), o Tricolor enfrentará, em Potosi, o Nacional daquela cidade e os quatro mil metros de altitude na partida de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana.

Inicialmente, a delegação do time carioca ficará em Santa Cruz de La Sierra, que fica a nível do mar. A viagem para Potosi só acontecerá horas antes do início da partida. A princípio, atletas e comissão técnica fariam a aclimatação em Sucre, que fica a quase três mil metros de altitude, mas foram obrigados a mudar o seu planejamento devido a protestos por disputas de royalties de uma reserva de gás na região, confusão essa que ocasionou o fechamento daquele aeroporto.

Para o duelo contra o Nacional, o Flu [VIDEO] contará com os retornos do zagueiro Gum e do lateral-esquerdo Ayrton Lucas. Ambos não participaram da importante vitória de 2 a 1 sobre o Vitória-BA do último domingo, no Barradão, em Salvador, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, porque sofriam com incômodos musculares. Outro que fica á disposição é o volante Douglas, recuperado de uma amigdalite.

Em contrapartida, os zagueiros Luan Peres e Nathan Ribeiro e o volante Douglas permaneceram no Rio. Últimos reforços contratados, os três não estão inscritos na Sul-Americana. Quem também não atua é Roger Ibañez. Um dos destaques do sistema defensivo na atual temporada, ele sofreu um estiramento muscular na abertura do Brasileirão (derrota de 2 a 1 para o Corinthians, em São Paulo) e está sendo preparado para ficar à disposição no clássico da segunda que vem, às 20h (de Brasília), no Nilton Santos, contra o Botafogo.

Na tarde de quarta, o Fluminense encerra a sua preparação em Santa Cruz de La Sierra. A tendência é que a equipe comece a partida com Júlio César; Renato Chaves, Gum e Frazan; Gilberto, Richard, Jádson, Junior Sornoza e Ayrton Lucas; Marcos Júnior e Pedro. Existe também a possibilidade de o experiente volante Aírton, que só atuou no empate de 1 a 1 com a Cabofriense ainda pelo Campeonato Carioca, ganhe uma oportunidade. Nesse caso, ele entraria na vaga de Frazan e Richard atuaria como um falso terceiro zagueiro.

Como venceu no Maracanã por 3 a 0 no último dia 11 de abril, o Fluminense tem a vantagem de perder por, no máximo, dois gols de diferença para conseguir avançar na Sul-Americana. Caso balance as redes, derrotas por três gols também servem. Se o Nacional devolver o placar do Rio, haverá disputa de pênaltis.