Sem muito alarde, o Fluminense anunciou nesta quarta-feira (2), a chegada de mais um reforço para a sequência do Campeonato Brasileiro e também para a Copa Sul-Americana. Depois de trazer o zagueiro Luan Peres, que estava na Ponte Preta, mas pertence ao Ituano, e o volante Dodi, do Criciúma, o Tricolor agora trouxe o zagueiro [VIDEO] Nathan Ribeiro, de 27 anos, que estava no Al Rayyan, do Catar. Ele chegou ao clube sem custos e assinou acordo até o ano que vem.

Natural do estado do Paraná, o jogador estava no Catar há quase dez anos, período que lhe garantiu a nacionalidade daquele país por ter vivido lá mais de cinco anos.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal PaixãoPorFutebol

Um fator que o ajudou a vir para as Laranjeiras foi o fato de ter trabalhado com o atual diretor esportivo do clube Paulo Autuori.

“Sempre sonhei em retornar ao Brasil vestindo a camisa de um grande clube”, disse o jogador, que no clube usará a camisa de número 32.

Ele revelou ainda ter recebido propostas de outros clubes, incluindo times do Catar, mas decidiu fechar com o Fluminense. “Sei da minha capacidade e vou trabalhar duro para buscar meu espaço no cenário nacional”, falou. Ele já estava contatado há duas semanas, porém questões burocráticas com relação à sua documentação atrasaram o anuncio oficial de sua contratação.

Quem é ele

A contratação do zagueiro [VIDEO] pegou os torcedores de surpresa, não apenas por se tratar de uma negociação que foi feita em silêncio, como também pelo jogador, desconhecido no Brasil. E não é para menos. Depois de jogar nas categorias de base do Cruzeiro o jogador saiu do país cedo, antes de completar 18 anos, e fez toda sua carreira como profissional no futebol do Catar.

Apesar de ter ido cedo, o jogador teve que ter muita paciência para poder entrar em campo pela primeira vez em uma partida oficial no novo país, uma vez que sua documentação demorou a sair e ele ficou mais de um ano apenas treinando.

Suas primeiras chances como profissional foi justamente pelas mãos do então técnico Paulo Autuori. “O Paulo foi um anjo na minha vida, ele acreditou em mim”, disse o jogador em entrevista dada no final de 2016 para o canal por assinatura ESPN Brasil. Autuori, inclusive, tentou leva-lo para o Atlético Paranaense no ano passado, nas a negociação acabou não acontecendo.

Com nacionalidade catariana, o jogador espera fazer um bom trabalho e conseguir ser convocado para a seleção do país para a disputa da Copa do Mundo de 2022, do qual o Catar será sede.