Com quase 31 mil torcedores em média em seu estádio, o Palmeiras já arrecadou 27 milhões de reais em 2018 com bilheteria. Como está disputando as maiores competições neste momento, é certeza que os bons números continuarão até o término da atual temporada. Porém, nem tudo são flores no Palestra.

Conforme o jornalista Rodrigo Mattos, do portal de notícias UOL Esporte, o Alviverde paulista viu a sua dívida aumentar em 67 milhões de reais ao longo de 2017, chegando a totalidade de 462 milhões em dívidas. Com a mudança do contrato com a Crefisa, principal patrocinadora e parceira do clube, esse valor deve subir ainda mais em 2018.

Um dos pontos fortes de Maurício Galiotte, presidente palmeirense, são os elevados aumentos nas rendas oriundas da bilheteria e patrocínio. Sem contar a agilidade e rapidez que está pagamento o empréstimo feito por Paulo Nobre, ainda quando era presidente do Alviverde.

Ainda de acordo com Rodrigo Mattos, a dívida aumentou principalmente por conta de antecipação de contratos e valores que foram pagos em negociação por jogadores. Com a atuação da Receita Federal, os gastos da Crefisa se transformaram em empréstimos, obrigando o clube a devolver esse valor futuramente.

Esse novo entendimento deve fazer a dívida palmeirense saltar para 540 milhões de reais. Uma maior entrada de dinheiro é bom para todos os clubes. O Palmeiras, por exemplo, ano a ano está se reforçando, montando um elenco ainda mais competitivo, aumentando a preocupação dos seus rivais.

Com a divulgação dos balancetes de quase todos os clubes referentes ao ano passado, a consultoria BDO fez uma analise financeira das principais equipes do Futebol brasileiro. Somando todas as agremiações, a receita bateu o recorde de 5,1 bilhões de reais, número nunca visto antes no Brasil.

O Flamengo [VIDEO]foi a equipe que mais arrecadou, chegando a incríveis R$ 648,7 milhões. O segundo vem o Verdão, que faturou R$ 503,7 milhões, seguido pelo São Paulo, com R$ 482,6 milhões. O Corinthians, atual campeão paulista e brasileiro, não está vivendo uma situação fácil, foram 35 milhões de déficit, colocando em xeque a montagem do elenco alvinegro para os próximos anos.

O Rubro-Negro carioca foi de longe o time com o maior superávit, chegando notáveis R$ 159 milhões [VIDEO]. Grande parte desse valor corresponde à venda de jovem Vinícius Junior para o Real Madrid, transação que injetou quase 150 milhões de reais nos cofres flamenguistas.