Faltando pouco mais de um mês para o início da Copa do Mundo da Rússia, as marcas da Copa passada no Brasil – entenda-se a goleada por 7 a 1 sofrida para a Alemanha, no Mineirão - ainda seguem afloradas e ganhou mais um capítulo neste final de semana, quando o ex-técnico da Seleção Brasileira na ocasião, Luiz Felipe Scolari, revelou grande mágoa com o apresentador Galvão Bueno, dizendo que ele se acha o “todo poderoso”. A polêmica declaração foi dada no programa “No Ar com André Henning”, exibido nesta sexta-feira (4), pelo canal por assinatura [VIDEO] Esporte Interativo. No programa ele também revelou que foi procurado por um time da Série A.

O treinador, que 12 anos antes havia sido pentacampeão com a Seleção na Copa do Mundo do Japão e da Coréia do Sul, disse que está magoado com o narrador por conta das declarações que ele deu logo após o jogo contra a Alemanha. Felipão entende que na ocasião Galvão quis jogá-lo contra a torcida e salientou que não dá mais entrevistas para ele. “Passou dez minutos depois do jogo apontando pra mim. Hoje eu não falo para esse senhor”, disse. “Enquanto ele achar que é o todo poderoso... eu fico aqui”, disparou.

Foi contra o uso da granja

A entrevista ainda seguiu com outros assuntos referentes à Copa de 2014. Um deles foi com relação ao uso da Granja Comary como local de preparação e treinos da Seleção, o qual ele deu a entender, sem de fato admitir, que era contra. Felipão disse que foi convencido pelo então presidente José Maria Marin a usar o local.

“Era tudo aberto ... Todo mundo fazia o que queria”, se queixou o antigo treinador do selecionado nacional.

De fato, em certa ocasião, um treinamento da Seleção foi interrompido para que o apresentador Luciano Huck, da Rede Globo [VIDEO], pudesse gravar um quadro para seu programa. Na ocasião, ele ainda levou seus dois filhos, que aproveitaram para tirar fotos com os jogadores, que já tinham feito trabalho de aquecimento e iriam iniciar o treino com bola, quando tiveram de parar para as gravações.

Após a desastrosa campanha, Marin ainda questionou Felipão se ele ainda gostaria de seguir no cargo, porém o treinador disse que não valia a pena continuar nessa situação.

Time da Série A o procurou

Felipão também revelou que o um time da Série A o procurou no início do ano, mas ele não quis nem iniciar conversas. “O Atlético Mineiro me procurou (...) mas disse que antes de abril, eu não ia conversar nada”, disse o treinador, que no entanto, não descartou treinar o Galo no futuro.