O futuro do atacante peruano Paolo Guerrero [VIDEO] começa a ser definido, após punição sofrida por suposto caso de doping, não apenas em relação a sua participação na Copa do Mundo de 2018, a ser sediada na Rússia. O jogador de 34 anos vem se mostrando muito insatisfeito com relação à postura adotada pela Federação Peruana de Futebol (FPF), desde o início dos trâmites legais ligados à sua acusação, o que resultou para ele 14 meses de suspensão. A grande notícia é que o atacante avalia a hipótese de nunca mais defender a seleção de seu País, caso sua situação não seja revertida.

Ele mesmo, ao desembarcar em Lima, capital do Peru, na última terça-feira, afirmou não entender as atitudes tomadas pela federação.

A seleção do Peru continua se hospedando no mesmo hotel onde supostamente haveria sido feita a contaminação que foi acusada no doping [VIDEO], proveniente de um chá, que levou ao teste positivo para a substância proibida, benzoilecgonina. A entidade de futebol do País também tratou todo o caso com um certo distanciamento, ao longo de todo o processo de defesa do atleta.

Embora o caso tenha acontecido no momento em que o jogador estava a serviço da seleção de seu país, em jogo válido pelas eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo, contra a Argentina, Paolo assumiu sozinho toda a tentativa de alcançar sua absolvição. Com a decisão final que o tira definitivamente do Mundial, a Federação Peruana emitiu um simples comunicado, em que aparece lamentando a decisão.

Em meio a esse cenário, Guerrero se queixou com pessoas mais próximas, afirmando que muito dificilmente voltará a defender a seleção de seu país, não escondendo em momento algum a sua insatisfação.

Próximo de completar 35 anos, ele imagina já dar por encerrado o seu ciclo.

Maior artilheiro de toda a história da seleção de seu país, o atacante sabe que muito dificilmente conseguirá atual na Copa do Mundo de 2022, a ser realizada no Qatar. Com essa decisão, a grande competição que ele abriria mão seria a Copa América de 2019, a ser realizada no Brasil.

Portas abertas no futebol chinês

Em conformidade com a sua saída da seleção, Guerrero sabe que ainda terá condições de seguir atuando em sua carreira profissional, após o término de sua suspensão, que ocorrerá em 2019. Para isso ele já tem várias sondagens, vindas do futebol chinês. Se resguardando de propostas parecidas, por se preparar para a Copa do Mundo que ele não poderá disputar, ele se vê livre para iniciar sua atuação no emergente futebol da Ásia.