No quarto Gre-Nal da temporada de 2018, a diferença entre Grêmio e Inter se acentua a níveis surpreendentes em uma gangorra que parece só pender para o lado azul. Neste sábado, a partir das 16 horas, as duas equipes se enfrentam na Arena, em Porto Alegre, pela quinta rodada do Brasileirão, com um favorito claro e absoluto reconhecido até mesmo pela torcida rival.

Em grande fase, o Grêmio chega ao clássico embalado pelas goleadas recentes sobre Cerro Porteño, por 5x0, pela Libertadores, e sobre o Santos, 5x1, no Brasileirão. De quebra, ainda fez 3x1 no Goiás na quarta-feira pela Copa do Brasil, mas dessa vez com um time reserva.

Do outro lado, o Inter, que já vinha de eliminações precoces e traumáticas no Gauchão e na Copa do Brasil, amarga um jejum de quatro jogos sem vencer e marcar gols. Depois de vencer o Bahia na abertura do Brasileirão em casa por 2x0, o time treinado por Odair Hellmann apenas empatou com o Cruzeiro e perdeu para Palmeiras e Flamengo.

Ainda que o momento esteja a seu favor, o técnico Renato Gaúcho prega respeito ao adversário e evita colocar o seu Grêmio em vantagem no clássico. Na quarta-feira, logo depois da classificação às quartas da Copa do Brasil, ele avaliou que o Inter encararia uma "Copa do Mundo" no próximo sábado.

"Gre-Nal é sempre difícil, complicado. O Inter tem o nosso respeito. Quando um time não está tão bem, um Gre-Nal pode servir para mudar a chave. É o clássico que dá moral para todo mundo.

Então nós precisamos ter atenção porque eles vão fazer uma Copa do Mundo no sábado. Mas aqui no Grêmio todos estão com os pés bem no chão e dentro do possível vamos fazer aquilo que estamos fazendo", comentou o treinador gremista.

Em termos de time, Renato não confirmou a escalação durante a semana, até porque tem dois desfalques [VIDEO]: Ramiro, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Jael, que sentiu uma lesão muscular na coxa e não fica nem no banco de reservas.

Muita pressão do outro lado

A preparação do Inter para o duelo contra o maior rival foi bastante tensa. O elenco passou longe de poder trabalhar em paz e com tranquilidade antes do clássico, já que protestos da torcida marcaram toda a semana de treinamentos do elenco dirigido por Odair Hellmann.

Odair, aliás, está entre os principais alvos dos torcedores. Na quarta, um pequeno grupo de colorados foi até o Beira-Rio e exigiu vitória sobre o Grêmio como forma de "ultimato" ao técnico. Em coletiva durante a semana, o treinador se disse "respaldado" pela diretoria e indicou que vai permanecer no clube mesmo com uma eventual derrota no jogo de sábado.

Entre os jogadores, os mais visados pelas críticas da torcida foram o volante Rodrigo Dourado e o atacante Nico López. Dos dois, apenas o primeiro deve começar jogando contra o Grêmio na Arena.

O outro grande alvo dos colorados é o vice-presidente de futebol, Roberto Melo, que está no cargo desde o início de 2017, quando iniciou-se o mandato do presidente Marcelo Medeiros. Além de ter sido criticado durante o jogo contra o Cruzeiro no Beira-Rio e nos protestos da semana, Melo viu sua própria casa virar "abrigo" para uma faixa pedindo a sua saída.

Sobre esse episódio, Medeiros considerou atitude de "bandidos" e procurou as autoridades de segurança para investigar os envolvidos no protesto na casa de Melo.

Quanto ao time do Inter que deve entrar em campo, Odair deverá promover a entrada de Zeca e Lucca no time titular. Com isso, saem Gabriel Dias e William Pottker, que foi expulso no jogo passado contra o Flamengo e está suspenso no Gre-Nal. Na tabela de classificação [VIDEO], o colorado é apenas o 13° colocado, com quatro pontos e precisa vencer para ganhar fôlego no Brasileirão.