O Grêmio ficou três dias na Venezuela nesta semana para o jogo contra o Monagas, pela Libertadores [VIDEO]. Foi o tempo suficiente para se comover e lamentar a situação do país vizinho, mergulhado em uma grave crise social, econômica e também política.

Sensibilizados com o que viam do povo em Maturín, cidade onde a delegação ficou hospedada, os jogadores gremistas se preocuparam em fazer uma "vaquinha" para doar dinheiro aos funcionários venezuelanos do hotel. Membros da comissão técnica e da equipe de apoio também doaram mantimentos e utensílios básicos.

Após um dos treinamentos de antes da partida [VIDEO], o técnico gremista Renato Gaúcho protagonizou uma linda atitude ao distribuir águas do Grêmio para crianças que treinavam nas categorias de base do Monagas.

Os brasileiros notaram que os garotos estavam jogando sem nenhum tipo de hidratação.

Na coletiva pós-vitória, Renato chegou a dizer que "o mundo precisa olhar com mais atenção para a Venezuela". O jogador Cícero também lamentou o que viu nesses dias e admitiu que os jogadores ajudaram com recursos financeiros. O governo socialista de Nicolás Maduro segue sendo alvo de grandes críticas e de manifestações contrárias às ações promovidas.