Assim como vem acontecendo nos últimos dias, a quarta-feira do Fluminense foi recheada de novidades dentro e fora de campo. Nos bastidores, a divulgação do UOL Esporte da última terça sobre o atraso na publicação do balanço financeiro do clube esquentou ainda mais o clima na sede de Álvaro Chaves. Em entrevista ao mesmo portal, Luis Monteagudo, membro do Conselho Deliberativo (Cdel) e representante maior da “Tricolor de Coração”, principal bloco de oposição da agremiação das Laranjeiras, revelou que a sua corrente e outras contrárias à atual gestão estudam a possibilidade de, através da Justiça, ingressar com a abertura de um processo de impeachment do presidente Pedro Abad.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

“Seria algo inédito, mas existe a possibilidade de tentarmos o impeachment por vias judiciais. A tendência é que percorramos esse caminho, assim abrimos mão do jogo político", explicou Monteagudo.

Segundo o conselheiro, tal medida seria uma alternativa mais viável, uma vez que a maior parte do Cdel do Fluminense [VIDEO] ainda é composta pelo principal grupo de apoio a Pedro Abad, a Flusócio. Com isso, a abertura de um processo de impeachment pela convenção política do clube seria algo praticamente inviável. Mesmo se conseguisse, uma demora no andamento do processo poderia esfriar a polêmica, algo considerado fatal.

Um fator que poderia colaborar para o impeachment acontecer sem a ida à Justiça seria a adesão de gente que pertence ao grupo político ("Unido e Forte") dos vices Cacá Cardoso (geral) e Diogo Bueno (finanças). Nesse caso, as peças do tabuleiro tricolor embaralhariam de vez, pois um afastamento forçado obrigaria a realização de novas eleições, ao passo que uma saída voluntária de Abad levaria Cardoso ao poder para concluir o mandato.

Através de nota oficial divulgada no final da noite de segunda, assinada por Diogo Bueno e Pedro Abad, o Fluminense [VIDEO] justificou o estouro do prazo por conta de ‘uma nova revisão de saldos contábeis das contas de 2016’, uma vez que ‘o objetivo da direção e dos poderes do clube é e sempre será apresentar o quadro mais fidedigno da realidade’.

Indicado por Paulo Autuori, zagueiro é anunciado durante treinamento em período integral

Tentando ficar alheio aos efervescentes bastidores, o Futebol profissional do Fluminense, após empatar com o São paulo pro 1 a 1 no último domingo, no Maracanã, volta as suas atenções para a quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Ocupando, no momento, o 11º lugar na classificação da Série A com quatro pontos, o Tricolor enfrentará, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Barradão, em Salvador, o Vitória-BA. Pensando nesse compromisso, o elenco realizou um treinamento em período integral no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca.

Antes da atividade, a diretoria surpreendeu e anunciou a contratação do zagueiro Nathan Ribeiro, de 27 anos, que estava há oito temporadas no futebol do Qatar.

Já incorporado ao grupo dirigido por Abel Braga, ele veio por indicação do diretor-executivo Paulo Autuori, que foi seu treinador no Oriente Médio.

Na quinta, o Fluminense treina pela manhã no CT Pedro Antônio. A expectativa é pela definição do time titular. Depois de cumprir suspensão por ter sido expulso na vitória de 1 a 0 sobre o Cruzeiro, Gilberto fica novamente à disposição, mas a boa atuação de Léo no empate de 1 a 1 com o São Paulo pode garantir a sua permanência na lateral-direita.

Quem também pode ganhar uma oportunidade é o zagueiro Luan Peres. Contratado junto à Pote Preta, o defensor formaria o trio com Gum e Renato Chaves. Outro com chance de ser escalado desde o início é Robinho, que seria o companheiro de Pedro no ataque. Nesse caso, Marcos Júnior, que, depois de um bom início de temporada, caiu de produção, iria para o banco de reservas.