O Santos ganhou um inesperado desfalque na semana passada, quando saiu o resultado positivo para o exame antidoping o qual o atacante Diogo Vitor [VIDEO]havia sido submetido. O teste, que acusou o uso de cocaína, foi feito após o jogo de volta das quartas de final do Campeonato Paulista, diante do Botafogo de Ribeirão Preto, na Vila Belmiro, no dia 21 de março. Na ocasião o jogo terminou empatado em 0 a 0 e o Peixe levou a vaga nas semifinais após vencer a disputa de penalidades. Na ocasião, ele entrou o segundo tempo, em substituição a Jean Mota.

Após tomar ciência do resultado, a diretoria do clube decidiu por suspender preventivamente o atleta até que uma contraprova fosse feita, no entanto, dias depois do caso vir à público o jogador admitiu o uso do entorpecente e abriu mão de fazer um novo exame.

Já nesta terça-feira (8), a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, uma das entidades responsáveis por aplicar penas por doping, publicou que o atleta santista está suspenso por e “uso de metabólico da cocaína”.

O caso ainda será levado a julgamento, onde o atleta pretende admitir o uso da droga. Como isso ainda não tem data para acontecer, entende-se que o santista está suspenso por tempo indeterminado.

Não vamos deixar de protegê-lo das drogas

Apesar de em um primeiro momento o jogador ter sido afastado dos treinos, o que se comenta nos bastidores é que o Santos dará total apoio a Diogo Vitor. Depois de uma conversa aberta do jogador de 21 anos, que admitiu o uso do entorpecente, com o presidente José Carlos Peres, a diretoria decidiu manter o contrato do atacante e ainda lhe dará todo o apoio para se livrar do vício [VIDEO], uma vez que se trata de um problema social e o atleta não fez uso da substância para aumentar seu desempenho esportivo.

“Por ter aceito uma situação, já existe uma boa parte da pena que não vai ter que cumprir”.

“É um garoto que terá nosso suporte. Não passamos na nossa cabeça. É inadmissível um atleta fazer uso de drogas”, disse o presidente José Carlos Peres, que garantiu que o clube irá auxiliar o atleta. “Ele assumiu o erro e o Santos vai ajudá-lo na medida do possível”, disse Peres, que acredita que pelo fato de Diego ter assumido a culpa, terá seu tempo de suspensão diminuído. “Não vamos deixar de protegê-lo das drogas”, completou o mandatário santista.

Uma das táticas a ser usada pela defesa no julgamento é dizer que o jogador fez uso recreativo da sustância e não para ganhar desempenho na partida.