Devido às ações policiais na Cidade de Deus, o Fluminense [VIDEO] não pôde treinar no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca e, com isso, após um longo período, voltou a treinar nas Laranjeiras na tarde desta quinta. A atividade, mais uma vez sem a presença de jornalistas, serviu para o técnico Abel Braga encaminhar a possibilidade de escalar um time alternativo no confronto de domingo, às 16h (de Brasília), no estádio do Barradão, em Salvador, diante do Vitória-BA, válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Isso porque, na quinta seguinte, o Tricolor enfrentará o Nacional Potosi, da Bolívia, na casa do adversário, na partida de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana.

Confirmada a intenção de Abel em preservar alguns atletas, aumentam as chances de Luan Peres, contratado recentemente junto à Ponte Preta, entrar na zaga. Outro que pode ganhar uma oportunidade é o volante Dodi, reforço trazido do Criciúma e que, até o momento, só ficou como opção no banco no empate de 1 a 1 com o São Paulo do último domingo, no Maracanã. Nesse caso, ele entraria na vaga de Jádson. O lateral-esquerdo Ayrton Lucas e o atacante Marcos Júnior também devem ser poupados e respectivamente substituídos por Marlon e Robinho.

Durante pouco mais de uma hora, o elenco fez um trabalho de movimentação em espaço reduzido e que tinha, como principal objetivo, levar a bola do campo defensivo até próximo da área adversária. Logo em seguida, os jogadores treinaram finalizações a gol.

Na sexta, pela manhã, o Fluminense realiza mais um treinamento. A princípio, ele acontecerá no CT Pedro Antônio. Com quatro pontos e na 11ª posição, o Tricolor, mesmo atuando longe de seus domínios, busca uma vitória para não se afastar do bloco dos primeiros colocados do Brasileirão.

Grupo enaltece retorno às Laranjeiras

De uma forma inesperada, os profissionais do futebol do Fluminense [VIDEO], depois de um ano e meio, voltaram a conviver com o ambiente das Laranjeiras, algo que deixou o plantel bastante satisfeito, como o equatoriano Junior Sornoza, que, mesmo estando no clube desde o ano passado, ainda não tinha entrado na tradicional sede do bairro da zona sul do Rio de Janeiro.

"Foi uma experiência bem legal, ficamos mais próximos dos torcedores. Pessoalmente, fiquei muito contente e vejo que meus companheiros também sentiram isso. Nos dá força para continuar fazendo um bom trabalho", disse o armador.

Nos bastidores, um grupo de conselheiros vem elaborando um projeto capaz de revitalizar o estádio das Laranjeiras e torná-lo novamente capaz de receber partidas de competições oficiais. No momento, apenas as categorias de base disputam partidas no estádio que, em 2019, fará cem anos de existência.