Acabou o tabu. Depois de seis derrotas e dois empates nos oito confrontos anteriores entre as duas equipes, o Fluminense [VIDEO] conseguiu a sua primeira vitória sobre a Chapecoense. Na tarde deste sábado, em partida que abriu a sétima rodada do Campeonato Brasileiro de 2018, o Tricolor, diante de mais de 14 mil torcedores presentes ao Maracanã, venceu a agremiação do Oeste de Santa Catarina por 3 a 1 e, se Flamengo, Corinthians e Palmeiras tropeçarem, pode encerrar o final de semana, na vice-liderança da competição nacional.

Mais uma vez, o destaque do triunfo da agremiação verde, branco e grená foi Pedro. Com dois gols, o camisa 9 se junta a Róger Guedes, do Atlético-MG, no topo da artilharia da Série A.

Na quarta, o desafio, porém, é bem mais complicado. A partir das 21h45 (de Brasília), o grupo dirigido por Abel Braga, somando, agora, 13 pontos, vai até a Arena do Grêmio, em Porto Alegre, para encarar o time da casa. No mesmo dia, só que às 20h30 (de Brasília), a Chape, 16º colocada com seis pontos e, dependendo dos outros jogos, podendo entrar na zona do descenso, tenta se reabilitar na Arena Condá, contra o Ceará.

Com quatro homens no meio, a Chapecoense iniciou tendo mais posse de bola e dificultando as ações do Fluminense [VIDEO]. Aos poucos, no entanto, o time carioca foi se ajeitando e poderia ter aberto o placar depois de belo passe para Marcos Júnior, que avançou pela esquerda e tocou por cima de Jandrei. A bola subiu muito e passou por cima do travessão.

Aos 22, o “Kururin” se redimiu.

Em nova estocada pela canhota, o atacante passou por um zagueiro e cruzou. Jandrei falhou e Pedro, como um autêntico matador, estufou as redes: Flu 1 a 0. Três minutos depois, em outra pixotada da zaga e do goleiro da Chapecoense, Marcos Júnior, depois de lançamento de Jádson, ficou com o gol vazio para, de cabeça, ampliar o placar.

Chapecoense pressionou

A desvantagem fez a Chapecoense se lançar ao ataque e, antes do intervalo, criou duas grandes oportunidades. Em uma delas, Canteros recebeu dentro da área e carimbou o travessão.

A pressão catarinense se manteve no segundo tempo e, aos cinco minutos, em falta cobrada por Arthur Caíque, a bola passou entre a barreira antes de entrar no canto esquerdo de Júlio César, que nada pôde fazer.

Em dois contra-ataques, o Fluminense poderia ter feito o terceiro, mas Sornoza, da pequena área, mandou para fora e Robinho, que havia substituído Marcos Júnior, choutou no travessão. Após os sustos, a Chapecoense aumentou o ritmo e esteve em vias de igualar a partida.

Até que, aos 42 minutos, depois de lançamento do goleiro Júlio César, Robinho dominou pela direita e, de calcanhar, tocou para Gilberto. O lateral-direito ajeitou e cruzou. Provando o seu faro de camisa 9, Pedro ganhou da zaga, dominou e, de pé direito, fuzilou no ângulo, tranquilizando o Fluminense. No final, festa dos jogadores e muita comemoração nas arquibancadas do Maracanã.