Mesmo sendo campeão do mundo com a Seleção Brasileira, a goleada sofrida de 7 a 1 da Alemanha na Copa do Mundo no Brasil é mais lembrada do que as vitórias de Felipe Scolari. O pior momento da carreira de treinador do Felipão foi acompanhado de muitas críticas sobre o seu trabalho.

Em entrevista ao No Ar com André Henning, do canal por assinatura Esporte Interativo, o treinador mostrou mágoa com uma das figuras mais importantes da Rede Globo. Felipão diz que não fala mais com Galvão Bueno, acreditando que, após o confronto, ele o criticou de maneira injusta. Outro fato lembrado pelo treinador é a postura de Galvão, afirmando que o narrador se acha muito poderoso.

''Teve um colega teu, de TV, que passou 10 minutos após a partida apontando para mim. Hoje eu não falo com ele, no caso, é o Galvão Bueno. Enquanto ele continuar se achando que é o todo poderoso, um deus, e que tenha o direito de fazer aquilo que fez, me jogou contra os torcedores. Fico aqui, cada um no seu lugar. Não devo nada a ninguém, cada um do seu lado fazendo o seu trabalho e vida que segue'', desabafou o multicampeão.

Em 2014, após o duelo contra os alemães, Galvão Bueno [VIDEO] criticou a grande insistência de Felipão em dizer que o time jogou bem, afirmando que houve um apagão na partida. Por isso, o grande número de gols sofridos no Mineirão.

''O tal do apagão de seis minutos não é uma causa, mas, sim, uma consequência. A seleção não teve essa campanha por conta de um apagão de seis minutos, o apagão de seis minutos ocorreu pela forma que o time estava jogando'', disse o narrador na época.

Hoje, Felipão [VIDEO]é sondado por vários clubes, inclusive do Brasil. O Flamengo, que ainda conta com o técnico interino, seria um dos seus possíveis destinos, mas ele deve mesmo é treinar um clube de fora.

Após o 7 a 1, Felipão tentou retomar a carreira no Futebol brasileiro, mas acabou fazendo um trabalho ruim no comando do Grêmio. Depois foi para a China, onde passou três temporadas comandando o Guangzhou Evergrande.

Lá, fez um dos melhores trabalhos da sua carreira, conquistando uma série de títulos, como o tricampeonato nacional e uma Liga dos Campeões asiática. No adeus, recebeu o apoio de centenas de torcedores no aeroporto, com faixas e gritos em sua direção, o chamando de General.

Nos últimos meses, um dos destinos cogitados foram clubes que disputam a Premier League, da Inglaterra, liga que o técnico adora. O interesse é tamanho que Felipão aceitaria até treinar um clube da segunda divisão ou que esteja próximo de cair.