Um dos maiores eventos esportivos do mundo [VIDEO], a Copa do Mundo, realizada a cada quatro anos, serve para que os torcedores possam ver os seus ídolos em ação defendendo suas seleções de origem. Entretanto, há quem prefira aproveitar a oportunidade para viajar e acompanhar sua seleção de perto.

Para isso, deve programar a viagem com antecedência e definir a estadia no país sede da Copa . O principal ponto de partida é estimar os gastos.

Além disso, é preciso ter a noção em quais cidades serão realizados os jogos de sua seleção preferida. A estreia do Brasil está marcada para o dia 17 de junho, diante da Suíça. A partida será realizada na cidade russa de Rostov.

O Brasil fechará sua participação na primeira fase diante da Sérvia, no dia 27 de junho, em Moscou.

Restam poucos ingressos

A Fifa (Federação Internacional de Futebol) disponibiliza em seu site o último lote de ingressos para a Copa do Mundo de 2018 [VIDEO]. Entretanto, os interessados precisam se apressar para garantir o seu. As informações sobre a venda de ingressos recebem atualização todos os dias. Além disso, existe a probabilidade de compra em bilheterias ao redor dos estádios da Copa.

Segundo informações da Fifa, até o momento 1.698.049 ingressos foram reservados pelos torcedores de diferentes partes do mundo. Isso levando-se em consideração que os ingressos começaram a ser comercializados em setembro do ano passado.

Compra de pacotes para assistir à Copa do Mundo

A maioria das agências de turismo disponibiliza em seus sites pacotes para Copa da Rússia com tudo pago.

Entretanto, apenas as agências credenciadas pela Fifa estão habilitadas a negociar o pacote completo, que inclui passagem aérea, hospedagem, ingresso, entre outras despesas.

O preço dos pacote mais barato é em torno de 4.730 euros por pessoa, cerca de R$ 20 mil, incluindo um jogo avulso e seis noites de hospedagem em um hotel três estrelas.

Para os mais abonados, o pacote mais caro custa 17.862 euros, cerca de R$ 76 mil (pacote para os jogos da primeira fase e 12 noites em quarto individual em hotel cinco estrelas). O cliente ainda pode optar pelo pacote de seis dias de hospedagem.

Viajar por conta própria é outra opção

Estima-se que a viagem por conta própria seja mais cara. Por outro lado, existe a opção da hospedagem em albergues instalados nas cidades onde os jogos serão realizados.

No momento, não existe voos diretos do Brasil para a Rússia. Dessa forma, os viajantes precisam fazer escala em países europeus, ou nos Emirados Árabes Unidos.

O preço da passagem no voo de ida está em torno de US$ 1.500 (cerca de R$ 5.200).

Por isso, a opção por um pacote de viagens com antecedência fica mais em conta.

Em alguns casos, as empresas que vendem esses serviços costumam parcelar as vendas em até 12 prestações. Entretanto, o consumidor deve realizar uma pesquisa detalhada em busca de preços mais acessíveis.

Dólar euro ou rublo?

Na Rússia, a moeda principal é o rublo. No entanto, o torcedor pode levar consigo o dólar ou euro e trocar pela moeda nacional nas casas de câmbio. Recomenda-se também que os torcedores realizem operações de câmbio em casas legalizadas e evite realizar transações no mercado negro.

De acordo com o Ricardo Teixeira, professor de MBA em gestão financeira da FGV (Fundação Getúlio Vargas), turista precisa ficar atendo às variações da moeda local.

Aplicativos de tradução e alimentação

A língua inglesa não é muito falada na Rússia. No país, o idioma mais falado está relacionado ao alfabeto cirílico. Entretanto, os aplicativos de tradução poderão facilitar a vida dos turistas.

Em ano de Copa do Mundo, o preço da alimentação costuma subir nas cidades em que o evento será realizado. Para fugir dessa prática, o ideal é que o consumidor evite os burburinhos do Centro da cidade e optar por refeições em locais mais tradicionais, como as cantinas russas, ou buffets, nos quais o consumidor irá pagar pela quantia servida no prato.