A tarde desta quinta-feira (17) foi bastante agitada na política do Fluminense. Após várias divergências, o vice-presidente patrimonial, Cacá Cardoso, o vice financeiro, Diogo Bueno, o vice de marketing, publicidade e relações externos, Idel Halfen, o vice de interesses legais, Michel Pachá e o vice de governança, Sandor Hagen, renunciaram aos seus cargos e não fazem mais parte da gestão Pedro Abad, que, a partir de agora, só conta com o apoio da Flusócio, da FluBase e dos Esportes Olímpicos.

As saídas de Cacá, Bueno, Halfen, Pachá e Hagen representam mais um capítulo turbulento nos bastidores da sede de Álvaro Chaves desde as últimas eleições e atingiram o seu ápice quando os grupos MR21, Esperança Tricolor, Flu 2050 e Por Amor ao Fluminense, integrantes da coalizão “Unido e Forte”, resolveram abandonar o apoio dado ao atual presidente Abad, que, até o momento, não se pronunciou sobre o assunto.

As próximas eleições para a presidência do Fluminense [VIDEO] acontecem no final de 2019. Não há qualquer definição sobre futuros candidatos, mas há expectativa de que Pedro Antônio, antigo vice de projetos especiais, seja um a pleitear a cadeira. Outra chapa pode vir através da união de Mário Bittencourt, ex-vice do departamento jurídico, com Celso Barros, antigo presidente da Unimed, patrocinadora do clube de 1999 a 2014 e responsável por grandes investimentos no futebol.

Tentando se manter alheio ao clima político efervescente, no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, o elenco do Fluminense, sob o comando do técnico Abel Braga, realizou mais um treinamento, visando o compromisso de domingo, às 19h (de Brasília), no Maracanã, diante do Atlético-PR, válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

A atividade foi realizada em três partes. Inicialmente, os jogadores, divididos em três grupos de oito, deveriam manter a posse de bola com passes rápidos e movimentação. No segundo momento, o foco foi as jogadas aéreas e conclusões a gol. Para encerrar, trabalho setorizado em campo reduzido.

Na sexta, pela manhã, haverá mais um treinamento no CT Pedro Antônio. Já no sábado, véspera da partida, atendendo a uma campanha de torcedores pelas redes sociais, existe a possibilidade de a atividade acontecer nas Laranjeiras.

Uma vitória sobre o Atlético-PR, além de aproximar o Fluminense [VIDEO] da parte de cima do Brasileirão (no momento, com sete pontos conquistados, ocupa o nono lugar), seria uma reabilitação da derrota de 2 a 1 para o Botafogo no clássico da última segunda, no Nilton Santos.