A tarde desta quinta-feira (17) foi bastante agitada na política do Fluminense. Após várias divergências, o vice-presidente patrimonial, Cacá Cardoso, o vice financeiro, Diogo Bueno, o vice de marketing, publicidade e relações externos, Idel Halfen, o vice de interesses legais, Michel Pachá e o vice de governança, Sandor Hagen, renunciaram aos seus cargos e não fazem mais parte da gestão Pedro Abad, que, a partir de agora, só conta com o apoio da Flusócio, da FluBase e dos Esportes Olímpicos.

Publicidade
Publicidade

As saídas de Cacá, Bueno, Halfen, Pachá e Hagen representam mais um capítulo turbulento nos bastidores da sede de Álvaro Chaves desde as últimas eleições e atingiram o seu ápice quando os grupos MR21, Esperança Tricolor, Flu 2050 e Por Amor ao Fluminense, integrantes da coalizão “Unido e Forte”, resolveram abandonar o apoio dado ao atual presidente Abad, que, até o momento, não se pronunciou sobre o assunto.

As próximas eleições para a presidência do Fluminense acontecem no final de 2019.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Fluminense Brasileirão

Não há qualquer definição sobre futuros candidatos, mas há expectativa de que Pedro Antônio, antigo vice de projetos especiais, seja um a pleitear a cadeira. Outra chapa pode vir através da união de Mário Bittencourt, ex-vice do departamento jurídico, com Celso Barros, antigo presidente da Unimed, patrocinadora do clube de 1999 a 2014 e responsável por grandes investimentos no futebol.

Tentando se manter alheio ao clima político efervescente, no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, o elenco do Fluminense, sob o comando do técnico Abel Braga, realizou mais um treinamento, visando o compromisso de domingo, às 19h (de Brasília), no Maracanã, diante do Atlético-PR, válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Publicidade

A atividade foi realizada em três partes. Inicialmente, os jogadores, divididos em três grupos de oito, deveriam manter a posse de bola com passes rápidos e movimentação. No segundo momento, o foco foi as jogadas aéreas e conclusões a gol. Para encerrar, trabalho setorizado em campo reduzido.

Na sexta, pela manhã, haverá mais um treinamento no CT Pedro Antônio. Já no sábado, véspera da partida, atendendo a uma campanha de torcedores pelas redes sociais, existe a possibilidade de a atividade acontecer nas Laranjeiras.

Uma vitória sobre o Atlético-PR, além de aproximar o Fluminense da parte de cima do Brasileirão (no momento, com sete pontos conquistados, ocupa o nono lugar), seria uma reabilitação da derrota de 2 a 1 para o Botafogo no clássico da última segunda, no Nilton Santos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo