O presidente José Carlos Peres assegurou que o Santos trará reforços no meio do ano, período em que o mercado europeu é aberto. Além do argentino Lucas Zelarayán, que já virou uma obsessão por parte do mandatário santista, o nome de Paulo Henrique Ganso volta à pauta.

Publicidade
Publicidade

De acordo com reportagem publicada nesta terça-feira (15), pelo portal UOL Esporte, a diretoria do alvinegro fez uma consulta para saber sobre as possibilidades do meia retornar à Vila Belmiro e o que ouviu de resposta é que ele não aceita receber menos de 750 mil reais mensais de salários. Além disso, o jogador quer uma quantia considerável em luvas para acertar o contrato.

Outro fator que ainda precisa ser levado em conta é a vontade do Sevilla, atual clube do jogador e que o comprou por quase 10 milhões de euros, em emprestá-lo sem custos.

José Carlos Peres disse que o Santos trará reforços
José Carlos Peres disse que o Santos trará reforços

No time espanhol o jogador está encostado e não atuou em nenhuma partida neste ano. Mesmo assim, o Peixe também tem que enfrentar a concorrência de outros europeus, interessados em contratar o meia.

Com a alta pedida, a cúpula alvinegra classificou a volta do jogador como sendo “sonho impossível”. O time estava disposto a pagar 450 mil mensais, porém os empresários do atleta afirmaram que existem clubes no futebol brasileiro dispostos a pagar acima do que foi oferecido pelo clube paulista. Pessoas ligadas ao jogador informaram que não houve nenhum contato por parte do Santos.

Publicidade

Surgimento meteórico

Ganso surgiu no Santos em 2009, na mesma época que Neymar, chegando até a ser apontado como sendo melhor que o atual camisa 10 do Paris Saint-Germain. A dupla conquistou o título da Copa Libertadores da América pelo Peixe em 2011, além do titulo paulista e da Copa do Brasil.

A boa trajetória do jogador no alvinegro foi interrompida por uma grave lesão no joelho, que o tirou de campo por vários meses e quando voltou já não teve o mesmo rendimento.

O período em inatividade também fez a diretoria, na época encabeçada pelo presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, desistir de um acordo que faria com o jogador o semelhante ao oferecido para Neymar, que incluía um plano de carreira.

Depois de não chegar a um acordo com relação à renovação de seu contrato, Ganso se transferiu para o São Paulo em 2012 na esperança de reencontrar seu melhor futebol no Morumbi, o que provocou a ira dos torcedores santistas, que chegou a atirar moedas no jogador em uma partida entre Santos e São Paulo, na Vila Belmiro.

Publicidade

Leia tudo