Em meio a uma crise que vem atravessando no momento e que pode até culminar na saída do técnico Jair Ventura, [VIDEO] o Santo segue de olho no mercado para finalmente tentar trazer um meia que tanto faz falta à equipe. A bola da vez agora é o argentino Favio Álvarez, jogador de 24 anos, que atualmente está no Atlético Tucumán, time que está classificado para as oitavas de final da Copa Libertadores da América e que pode até ser adversário do Peixe nesta fase.

O atleta tem contrato com seu atual clube até a metade de 2022 e ainda não foi formalizada nenhuma proposta oficial ao clube argentino. No entanto, dirigentes santistas já andaram sondando o empresário do atleta para saber é possível que ele venha para o alvinegro por empréstimo.

Apesar dos representantes do jogador enxergarem com bons olhos sua vinda ao Brasil, os dirigentes do Santos terão que ter alto poder de persuasão com os dirigentes do Tucumán, uma vez que o presidente da equipe já avisou que só negocia seu jogador se for para ser uma venda em definitivo. Antes de chegar ao Tucumán, Favio Álvarez já teve passagens por Talleres, Sarmiento e Defensa y Justicia, todos eles da Argentina. Nesta atual temporada ele já fez um gol e deu quatro assistências em 22 jogos.

O portal Globo Esporte questionou o vice-presidente do Santos, Orlando Rollo, sobre o interesse no jogador, porém o dirigente disse desconhecer a proposta. O presidente José Carlos Peres está em Londres, onde está como chefe da delegação da Seleção Brasileira e já é de conhecimento público que ele costuma centralizar todas as negociações envolvendo jogadores, fato que já causou descontentamento no clube.

Lucro baixo no Pacaembu

Quando decidiu levar metade dos jogos como mandante para o estádio do Pacaembu, a diretoria do Santos buscava uma mulher arrecadação em bilheteria. No começo a iniciativa até deu certo e o time chegou a ter no período do Campeonato Paulista média próxima a 20 mil torcedores no estádio. No entanto, na partida contra o Cruzeiro, o público foi de apenas oito mil pessoas e a renda de pouco mais de 17 mil reais.

A má fase do time, que vinha de três jogos sem vitória, combinada a greve dos caminhoneiros, o que deixou muito difícil o deslocamento dos torcedores, seja por transporte púbico como por veículos particulares, também foi um fator que contribuiu para o baixo público.

Os 8.504 pagantes que compareceram ao Pacaembu [VIDEO] geraram uma renda bruta 349.730 reais, porém o clube gastou 332.543,33 reais com despesas de aluguel, seguros, taxas, impostos e gastos operacionais. O Peixe volta a mandar um jogo em São Paulo no dia 10 de junho, contra o Internacional.