Precisando fazer caixa, a diretoria do Santos correu atrás e conseguiu a tão esperada renovação com o seu patrocinador master. A Caixa Econômica Federal irá mostrar a sua marca no espaço principal do uniforme santista por mais uma temporada. O acordo com o banco estatal é comemorado por vários motivos, principalmente que, com o cumprimento de metas, poderá render uma renda extra surpreendente.

Segundo o portal de notícias UOL Esporte, o banco estatal pagará 10 milhões de reais pelo acordo de uma temporada. O contrato tem algumas bonificações. Em caso de metas alcançadas, esse valor deverá chegar a 16 milhões de reais. Tudo isso vai depender do desempenho do clube na Copa do Brasil, Libertadores e Campeonato Brasileiro.

Para receber essas bonificações não dependerá somente de títulos, mas também de classificações nas três competições que o clube está disputando. O Alvinegro conta também com o patrocínio da Algar, em vínculo que vai até o término da atual temporada.

Os dirigentes santistas queriam um aumento nos valores pagos pelo banco. Porém, com a sua nova política, a Caixa se mostrou irredutível, aceitando pagar os mesmos valores da última temporada. As negociações vinham sendo tratadas há meses. Por isso, mesmo com o final do contrato, o Santos [VIDEO]continuou exibindo a marca o banco.

''É melhor um passarinho na mão do que dois voando. O banco [VIDEO] Caixa tem o seu limite com todos os clubes, incluindo o Flamengo, por exemplo, temos que respeitar. Os valores em relação ao último contrato não irão mudar, temos de fechar até o próximo mês.

Na verdade, não era o que esperava, mas é sempre bom ter'', destacou o presidente do Peixe, José Carlos Peres.

A Caixa se tornou um dos maiores investidores do Futebol brasileiro. O exemplo maior é que 11 dos 20 clubes que disputam a primeira divisão tem um contrato com o banco. Somando todas as divisões, esse número dispara e chega a 24 equipes brasileiras.

A nova gestão tem trabalhado para diminuir os gastos do Santos e, assim, melhorar a parte financeira para os próximos anos. Dos clubes paulistas, somente o Palmeiras, que conta com patrocínio da Crefisa, tem se destacado pelo seu equilíbrio financeiro.

O Corinthians, por exemplo, mesmo com o título de campeão paulista e brasileiro, viu a sua arrecadação diminuir em 2017 em relação ao ano anterior, gerando um déficit muito preocupante, que chegou a incríveis 35 milhões de reais.