O jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Luverdense, nesta quarta-feira (9), na Vila Belmiro, poderia ser encarado como sem importância e o técnico Jair Ventura [VIDEO]poderia até mesmo optar por dar descanso para alguns jogadores. No entanto, os dois últimos resultados negativos, sobretudo a derrota por 5 a 1 diante do Grêmio, deram uma carga extra para o confronto e um novo tropeço, além de colocar em risco a classificação para a segunda fase, poderia deixar a torcida mais impaciente e colocar pressão sobre o trabalho do técnico Jair Ventura. Como não bastasse esse cenário, o time poderá ter um desfalque para este jogo.

Na manhã desta terça-feira (8), o elenco se reapresentou, já visando ao compromisso da Copa do Brasil, e a principal ausência foi a do volante Alison que, de acordo com nota enviada pela assessoria de imprensa do clube, ficou fazendo trabalhos de fisioterapia na academia, devido ao desgaste físico. Assim, começa a ser especulado que o jogador não irá encarar o time do Mato Grosso. Por outro lado, Vecchio e Renato, que não estiveram em Porto Alegre, voltaram a treinar e devem ficar à disposição de Jair Ventura.

O jogo parece que não tem atraído muito o interesse do torcedor santista. A noite desta segunda-feira (6), o clube sequer tinha vendido 2 mil ingressos para o duelo contra o Lurverdense , pela Copa do Brasil. A diretoria até chegou a cogitar levar esse jogo para alguma cidade do interior, [VIDEO] mas os estádios não ofereceram condição de ser palco da partida.

Vergonha sim, time apático não

Dois dias após a goleada sofrida por 5 a 1 para o Grêmio, no domingo (6), pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, o lateral-esquerdo Dodô deu entrevista coletiva no CT Rei Pelé, onde falou o desastroso resultado de Porto Alegre.

O jogador reconheceu que o time fez dois jogos abaixo da média, mas lembrou que a equipe bateu times fortes fora de casa, como São Paulo e Estudiantes. “A gente ficou chateado e envergonhado por uma derrota assim”, disse o santista, que negou que o time tenha se mostrado apático no duelo na arena gremista. “Não somos apáticos, tanto que o Grêmio não tomava gol há mais de 400 minutos”, disse.

O técnico Jair Ventura ainda busca um jogador que possa atuar na função de armador no meio de campo, função que o próprio Dodô desempenhou em sua passagem pelo futebol italiano. Questionado se poderia fazer o mesmo no Santos, o lateral preferiu desconversar. “Não me sinto confortável para comentar sobre isso de ser o camisa 10”, se esquivou o jogador, se limitando apenas a dizer que busca fazer o seu melhor.