Dia mais do que especial para o esporte brasileiro. Ontem, 19/05/2018, o Brasil sagrou-se campeão pela primeira vez num esporte tradicionalmente praticado no Hemisfério Norte ou pelas ex-colônias britânicas localizadas pelo mundo. O futebol americano.

Com pouca divulgação, mas direito à transmissão ao vivo por rede aberta de televisão, quem pôde acompanhar a vitória dos “tupis”, como são conhecidos os jogadores brasileiros, na final contra a Colômbia saboreou aqueles tempos de que praticar esporte não é apenas ganhar um troféu. Tem mais a ver com raça, suar a camisa, treino, muito treino sob as vestimentas do anonimato.

Talvez, a partir de agora, conheça-se um pouco mais da Seleção Brasileira de futebol americano. E, por consequência, se popularize esta modalidade esportiva.

A caminhada

Debaixo de chuva, o Brasil ganhou da Colômbia por 67 a 5 e faturou pela primeira vez o título sul-americano de rugby. Dentro desse meio, a competição é conhecida como “Campeonato Sul-Americano [VIDEO] 6 Nações”.

O jogo aconteceu [VIDEO] na SPAC (São Paulo Athletic Club), localizado no bairro paulistano de Santo Amaro, bem às margens da Represa Guarapiranga.

Se isso parece pouco, é bom frisar que neste torneio de 2018, os “tupis” bateram a equipe da Argentina pela primeira vez na história. Também, conseguiu-se vencer os chilenos. Ambos os rivais possuem boa tradição no rugby.

No embate que valia tudo ou nada, o Brasil teve dificuldades contra os colombianos.

Somente aos 12 minutos do primeiro tempo, a seleção da casa fez os primeiros pontos, num “try”.

Após a expulsão do pilar Chabal, a Colômbia aproveitou-se de seu maior número de jogadores para tentar reverter o placar, partindo para o campo de Ataque. Porém, a defesa brasileira estava eficiente, mesmo com o total de 12 jogadores.

O segundo tempo foi ainda mais esmagador, pois o Brasil fez grandes jogadas e sucessivos “tries”. No entanto, o time adversário fez os seus pontinhos de honra. Detalhe: antes dos colombianos marcarem seus primeiros pontos, o Brasil fez 60 a 0.

Conquista inédita

Terminada a partida, o resto foi só comemorar. O capitão brasileiro Yan destacou o trabalho e a dedicação árduos para se chegar à conquista. O Campeonato Sul-Americano 6 Nações faz parte da primeira divisão do esporte. Não é para menos que se comemore ainda mais.

Especialmente para os jogadores; mas, para um deles, há um sabor especial: o atleta Ige fez sua última partida na final de ontem. Apesar de ter levado o cartão vermelho e, consequentemente, ter sido expulso, ele disse, emocionado, que fechava seu ciclo de longos anos com chave de ouro.

Destacou aqueles que passaram antes dele e reafirmou que o título inédito é de todos: comissão técnica e ex-atletas que vestiram a camisa e lutaram por um esporte “considerado menor”, mas que colaboraram para chegar aonde os “tupis” chegaram. O distintivo da equipe brasileira é composto por um índio com cocar. Daí, o apelido carinhoso de "tupis".

O próximo compromisso dos “verdes” será um amistoso a se realizar no mês de novembro (sem data fixada ainda) contra o Maori All Blacks, time da Nova Zelândia que roda o mundo, participando de jogos contra seleções nacionais e grandes times. O time neozelandês existe de 1888 e tem por objetivo propagar a cultura de seu país natal.