O Vasco entrou na partida desta quarta-feira (2), diante do Cruzeiro, para continuar vivendo na Libertadores da América. Uma vitória levaria o time com chances de se classificar, na última rodada da competição. Mas aconteceu o pior, o Gigante da Colina foi atropelado pela Raposa em São Januário, por 4 a 0.

Foram dois gols do atacante Sassá, um do zagueiro Léo e outro do meia Thiago Neves. Vale ressaltar que o primeiro gol da equipe celeste foi irregular, pois o atleta do Cruzeiro estava impedido. Mas nada que tire a superioridade da Raposa durante a partida inteira.

A derrota acachapante não foi bem digerida pela imprensa e nem por torcedores.

Os vascaínos saíram bastante irritados da partida, até brigaram entre si no decorrer do jogo. O juiz chegou a parar o duelo por cerca de 5 minutos, por conta deste problema nas arquibancadas do estádio.

Já a imprensa avaliou um Vasco muito abaixo do que se pede a competição. Tanto é, que o clube tem uma das piores campanhas entre todos que disputam a Libertadores. Somou apenas dois pontos em cinco partidas. Perdeu três e empatou duas.

Outros nomes da imprensa foram ainda mais longe nas críticas. É o caso do jornalista Rodrigo Campos, que atirou contra a atual diretoria do Vasco [VIDEO], em suas redes sociais. Segundo ele, o presidente vascaíno, Alexandre Campello, deveria admitir que não tem condição de gerir o clube e pedir renúncia. Segundo ele, o atual mandatário é um ''incompetente'' e não tem ''criatividade'' nenhuma para dirigir o Vasco.

Rodrigo Campos ainda afirma que o grande problema do Gigante da Colina não é nem essa derrota para o Cruzeiro, em São Januário, mas, sim, um possível rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Por fim, o jornalista ainda bate pesado na personalidade do presidente vascaíno. ''O Vasco é muito maior que o ego de qualquer um e a sede de poder de homens sem preparo para comandar este gigante'', disse ele.

Eleição conturbada

Essa crítica do Rodrigo se refere a última eleição do clube. Campello ganhou o pleito de uma forma muito confusa. [VIDEO] Ele se uniu ao candidato Júlio Brant, para bater Eurico Miranda, na votação (indireta), entre os sócios. Depois rompeu com Brant, no dia da reunião do conselho deliberativo, no qual se escolheria o presidente do próximo triênio, para se lançar candidato.

Dessa forma, Campello foi visto por muitos como um cara que gostaria de ter mais poder, que qualquer outra coisa dentro do Vasco.