Um estádio próprio é o sonho de muitos times grandes do Brasil e muitos deles têm suas casas. Esse “luxo”, no entanto, são poucas equipes do interior podem ostentar. Porém, isso não é garantia de sustentação financeira e algumas delas, mesmo com casa própria, convivem com o fantasma da falência.

Um desses clubes é o América, de São José do Rio Preto, cidade do interior de São Paulo. O estádio do time, inaugurado em meados da década de 1990, foi usado pelos grandes clubes da capital para mandar jogos, inclusive em clássicos. No entanto, o maior patrimônio do clube também se encontra abandonado.

Com a impossibilidade de alugar o campo para os times grandes, ainda mais após Palmeiras e Corinthians terem inaugurado suas arenas, o que faz um jogar na casa do outro, o América continua vendo nesses clubes sua salvação, mas de outra maneira.

Luan, Lucas Lima e Zeca, antes de se destacarem com as camisas de Grêmio e Santos, apesar dos dois últimos já estarem no Palmeiras e Internacional, respectivamente, vestiram a camisa do América no passado. A esperança da diretoria do clube é que uma venda desses jogadores para o exterior renda frutos para o time.

Esse dinheiro viria através do mecanismo de solidariedade criado pela Fifa (Federação Internacional de Futebol), para que times onde os jogadores passaram dos 12 aos 23 anos de idade recebam uma porcentagem obtida na negociação.

A porcentagem recebida varia de acordo com o tempo que o jogador passou no clube. No caso de Zeca, por exemplo, o time do interior paulista tem direito a 5%. “O Zeca pode ser vendido por 60 milhões de reais. O América tem 5% e daí seriam 3 milhões”, disse o presidente do clube, José Carlos Pereira Neto, o Zé Branco.

Na verdade, o percentual a receber sobre uma possível negociação evolvendo o atual lateral-esquerdo do Colorado seria de 5,75%, uma vez que ele esteve por lá entre 13 e 15 anos.

O percentual bem maior do que a dos outros dois citados, Tanto por Luca Lima quanto por Luan, o clube receberia apenas meio por cento, referente ao ano que eles ficaram lá. O meia palmeirense jogou lá em 2009, quando tinha 19 anos, e a curta passagem do gremista foi em 2013, quando ele já estava com 20 anos.

Atualmente disputando a quarta divisão de São Paulo, o América é o terceiro colocado do grupo 2, com dez pontos ganhos, estando na zona de classificação para a próxima fase. Em seis jogos disputados, o time venceu três, empatou um e perdeu dois. Seu próximo compromisso será neste sábado (19), quando sai para pegar a Inter de Bebedouro.