A Argentina está fora da Copa do Mundo, após a derrota sofrida para a França neste sábado (30). A seleção sul-americana [VIDEO] sofreu com o fraco desempenho de seu time que parece não se entender dentro e fora de campo. A começar pelas críticas ao seu principal jogador, Lionel Messi.

O craque argentino é muito criticado por seus conterrâneos, haja vista ter saído muito cedo da Argentina rumo à Espanha. O jogador está no Barcelona, clube espanhol desde os 13 anos de idade, e muitos dizem que Messi é mais barcelonista do que argentino, e por isso mesmo não consegue praticar na seleção o mesmo futebol que o consagrou como um dos melhores jogadores da atualidade no cenário mundial.

Na seleção, o barcelonista vive à sombra do maior ídolo argentino, Diego Maradona. Para muitos, essa pressão é o motivo pelo fraco futebol do craque quando veste a camisa de seu país.

Outro personagem bastante criticado da seleção argentina é o seu técnico Jorge Sampaoli. O técnico de 58 anos de idade assumiu a seleção de seu país em 2017 após duas temporadas à frente do Sevilha, clube espanhol - anteriormente o técnico havia dirigido a seleção chilena, tendo conquistado o título da Copa América de 2015 e também conquistou o prêmio de melhor técnico sul-americano daquele ano.

No entanto, seu desempenho frente à seleção lhe rendeu muitas criticas, em 15 jogos, venceu 7, empatou 4 e perdeu 4. Com a eliminação nas oitavas de final da Copa, sua demissão é dada como certa pelos jornalistas e torcedores argentinos.

Estes inclusive dizem que o técnico perdeu o comando de sua seleção. Uma conversa entre o volante Mascherano, um dos principais líderes da seleção argentina e o técnico Sampaoli, cuja as câmeras flagraram um bilhete nas mãos do jogador, deixou a entender que quem estava escalando o time a partir daquele momento era o jogador.

Maradona é o grande nome argentino na Copa da Rússia 2018

Com o fraco desempenho de Messi e seus companheiros de seleção, o brilho de Diego Armando Maradona [VIDEO] foi o destaque da Argentina nesta Copa. O regente da seleção argentina na Copa de 86, quando o baixinho exibiu toda sua genialidade e levou seu time ao título daquele mundial, brilhou em mais uma Copa.

Maradona é figura presente nos jogos da seleção e seu carisma é garantia de espetáculo nas tribunas dos estádios da Rússia. Maradona dançou com um nigeriana no jogo entre Argentina e Nigéria, cantou, dançou, bravejou, distribuiu beijos, acenos, exibiu uma bandeira com sua imagem, foi até os fãs para fazer selfies, e tudo isso exibido nos telões dos estádios e transmitidos pelas emissoras de TV de todo o mundo.

Desde 1993, quando a seleção argentina conquistou o título da Copa América, os fanáticos torcedores argentinos não comemoram um título de expressão, dessa forma Maradona [VIDEO] continua sendo o grande destaque do futebol de seu país e a que tudo indica continuará sendo por muito tempo, ao menos aos olhos dos críticos.

La mano de Dios não faz milagres!