Na manhã deste domingo, no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, o Fluminense [VIDEO] deu continuidade aos seus preparativos para o confronto de segunda, às 20h (de Brasília), no Durival de Brito, em Curitiba, diante do Paraná, válido pela nona rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar de, mais uma vez, o treino ter sido realizado sem o acesso dos jornalistas, o técnico Abel Braga, durante pouco mais de uma hora, ensaiou situações de jogo e trabalhou lances de bola parada. No final, alguns treinaram cobranças de pênaltis.

A escalação, como de praxe, só será oficialmente divulgada momentos antes do início da partida.

A expectativa fica por conta dos retornos de Gum e Marcos Júnior, que não participaram do 0 a 0 com o Grêmio da última quarta, em Porto Alegre, por estarem desgastados fisicamente. Outros que ficam novamente à disposição são o lateral-direito Léo e o atacante Pablo Dyego.

Artilheiro da equipe e um dos goleadores do Brasileirão com cinco gols, Pedro se recupera de um estiramento muscular e só volta após a Copa na Rússia. Tendo a mesma lesão do camisa 9, o lateral-esquerdo Ayrton Lucas se encontra em um estágio mais avançado e deve retornar daqui a uma semana, no confronto diante do Atlético-MG na Arena Independência, em Belo Horizonte.

Na parte da tarde, a delegação seguiu viagem para a capital do estado do Paraná. Com os resultados de sábado e dependendo dos jogos de domingo, o Flu, se vencer, pode até assumir a liderança do Brasileirão.

No momento, o Tricolor, somando 14 pontos, é o sétimo colocado do torneio.

Enquanto isso, os bastidores seguem agitados. Segundo reportagem do portal Globoesporte, o presidente Pedro Abad já definiu como irá formar o Conselho Diretor após a saída de cinco vice-presidentes, todos do grupo "Unido e Forte", que, há aproximadamente dois meses, anunciou o seu rompimento com a atual gestão.

A ideia do mandatário é diminuir o número de vice-presidências e escolher os novos ocupantes da diretoria através de critérios técnicos, esquecendo o lado político. A expectativa é de tudo estar definido antes da paralisação para a Copa do Mundo, na Rússia.

Outra pendência é quem irá substituirá Paulo Autuori como gerente-executivo de futebol. Nomes como o ex-zagueiro e treinador Ricardo Gomes, Fernando Gonçalves, que já exerceu o mesmo cargo no Fluminense [VIDEO] em 2007 e Valdir Espinosa, técnico em duas ocasiões nas Laranjeiras, surgem como favoritos