O primeiro grande drama da Copa do Mundo de 2018 teve as cores da bandeira da Argentina. Nesta terça-feira, os hermanos conseguiram superar a crise interna, os resultados ruins nos dois primeiros jogos e, fundamentalmente, a Nigéria: ao vencer os africanos pelo placar de 2x1, a equipe dirigida pelo técnico Jorge Sampaoli garantiu uma vaga à fase de oitavas de final.

Sampaoli, bastante pressionado por conta do empate diante da Islândia e da pesada derrota de 3x0 para a Croácia, decidiu mudar drasticamente no time.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

O goleiro Caballero, por exemplo, deixou a equipe após falhar de maneira bizarra na derrota para os croatas e deu lugar ao estreante Armani. Outros nomes como Rojo, Banega, Dí Maria e Higuain voltaram a ganhar a confiança do técnico.

Inicialmente, as mudanças pareceram surtir efeito e demonstraram que a classificação poderia vir sem maiores sustos. Ainda no primeiro tempo, Lionel Messi recebeu um lançamento primoroso de Banega e fuzilou as redes rivais mesmo de perna direita, que não é a sua principal. Alívio para o capitão argentino, que ainda estava em branco na Rússia.

O placar momentâneo de 1x0 já era suficiente para a Argentina, uma vez que no outro jogo, simultâneo, a Islândia não estava vencendo a classificada Croácia - no fim, os croatas venceram por 2x1 e garantiram o primeiro lugar do grupo com 100% de aproveitamento. Então, a briga argentina era diretamente com a Nigéria.

Mas os africanos venderam caro a classificação. Logo no início da etapa final, o experiente Javier Mascherano cometeu um erro infantil e fez pênalti, que Moses cobrou, marcou e recolocou a segunda vaga do grupo nas mãos do país africano.

Ainda com o placar empatado em 1x1, a Nigéria reclamou de um toque no braço na zaga rival dentro da área, o que geraria uma segunda penalidade máxima. A arbitragem consultou o árbitro de vídeo - VAR -, mas não marcou a infração.

Como um bom drama argentino, o alívio só veio cerca dos 40 minutos da etapa final - e com um herói improvável. O lateral-esquerdo/zagueiro Marcos Rojo surgiu como um legítimo centroavante dentro da área e, de perna direita, encontrou o canto esquerdo do arqueiro nigeriano: 2x1 e classificação garantida - e sofrida - à Argentina.

Agora, um confronto entre dois campeões mundiais [VIDEO] marca as oitavas de final. No sábado, a partir das 11h, a Argentina mede forças contra a França, que avançou com 7 pontos e em primeiro lugar no Grupo C.

Maradona é show à parte na arquibancada

A Argentina [VIDEO] contou mais uma vez com a presença do seu mais ilustre torcedor. Diego Armando Maradona, fiel ao seu estilo, foi um show à parte no estádio em São Petesburgo e demonstrou um misto de emoções e sentimentos ao longo dos 90 minutos - no final, ele ainda passou mal, saiu carregado do camarote em que acompanhava o duelo e precisou ser atendido por uma equipe médica.

Antes do início da partida, o eterno craque argentino encontrou uma nigeriana e tirou a moça para dançar em pleno estádio faltando minutos para a bola rolar. A cena, é claro, dominou as redes sociais e divertiu os torcedores de diferentes países.

Com a bola rolando, Maradona vibrou com o gol de Messi e chegou até a tirar um cochilo quando o jogo se mostrava calmo a favor da Argentina. Parecia mesmo que a vaga às oitavas de final não seria mais ameaçada.

No empate nigeriano, o semblante mudou e o rosto do ex-jogador ficou fechado. A preocupação era flagrante. O alívio mesmo só veio depois do gol salvador anotado por Marcos Rojo, que impulsionou até uma certa falta de educação do antigo camisa 10 argentino, que foi flagrado pelas câmeras do estádio apontando o dedo do meio das duas mãos.