A bola está rolando na Rússia há apenas dois dias, mas já há histórias suficientes para preencherem um bom livro. Na capa, certamente estaria Cristiano Ronaldo, o astro português cinco vezes melhor do mundo, que roubou para si todos os holofotes da rodada desta sexta-feira, 15.

Que ele é o principal jogador de Portugual, ninguém tem dúvidas. Mas, desta vez, nenhum jornal estaria exagerando se estampasse sua capa de esportes com a seguinte manchete: "Espanha 3x3 Cristiano Ronaldo".

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Com três gols feitos de diferentes formas, evidenciando seu vasto repertório, CR7 evitou a derrota de Portugal e mostrou que será, sim, um dos principais nomes da Copa do Mundo de 2018.

O gajo entrou em campo com fome. Logo aos 4 minutos, ele acreditou em uma jogada pela beirada da área e sofreu pênalti, que ele mesmo converteu. Mas a Espanha, que não pareceu ter sentido a troca no comando técnico entre Julen Lopetegui e Fernando Hierro, logo botou em prática o seu excelente jogo coletivo turbinado por bons valores individuais. O brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa, em lance duvidoso, que poderia ter sido assinalado falta, empatou ainda no primeiro tempo.

Mas CR7 não demorou para botar Portugal novamente na dianteira do placar - dessa vez de perna esquerda e com uma imensa colaboração do goleiro De Gea, que tomou o chamado "frango". Na volta ao segundo tempo, a Espanha se postou à frente do marcador com gols de Diego Costa, novamente, e Nacho, em uma linda finalização com o lado de fora do pé.

Tudo parecia, então, que levaria à vitória espanhola ainda que Cristiano Ronaldo estivesse em jornada inspirada. Mas uma falta sofrida por ele mesmo já depois dos 40 minutos do segundo tempo devolveu a igualdade no placar: com maestria, o craque do Real Madrid bateu por cima da barreira e estufou as redes de De Gea: 3x3 foi o resultado final do melhor jogo até agora da Copa do Mundo.

Antes, pelo mesmo Grupo B, o Irã havia dado um passo importante ao vencer o Marrocos por 1x0 já no finalzinho e com um gol contra. O gosto amargo entre os marroquinos era explicável: foram eles quem mais buscaram e mais estiveram perto do gol. O Irã lidera a chave com 3 pts, enquanto Portugal e Espanha se dividem no segundo lugar com 1.

Camisa uruguaia pesa muito; Rússia larga com o pé direito

Se não for com sofrimento, não será Uruguai. O lema foi levado à risca na estreia da seleção do maestro Óscar Tabárez, também nesta sexta-feira. Em um jogo truncado, sem muitas ocasiões claríssimas de gol, o time celeste só foi garantir a vitória diante do Egito [VIDEO] aos 45 minutos do segundo tempo.

Foi apenas neste instante, no chamado "apagar das luzes", que o zagueiro Giménez aliviou o povo uruguaio. Ele aproveitou com qualidade uma cobrança alta na grande área e testou firme para as redes. Em atuação pouco inspirada, Suárez perdeu pelo menos duas chances claríssimas de gol. O seu companheiro Edinson Cavani também já viveu jornadas melhores.

A vitória uruguaia foi no complemento da rodada do Grupo A, que teve a sua abertura oficial em jogo isolado na quinta-feira. Os anfitriões russos fizeram bonito [VIDEO] e encheram os seus torcedores de esperança com uma inapelável goleada por 5x0 sobre a tímida Arábia Saudita.

A empolgação pela vitória na estreia em casa, como sede, foi tão grande que o próprio presidente nacional Vladimir Putin fez questão de ligar para a comissão técnica durante a coletiva de imprensa para parabenizar pelo resultado obtido em campo. Rússia e Uruguai, evidentemente, lideram o Grupo A com três pontos cada e a vantagem é dos russos pelo saldo de gols.

Valeu a espera, porque a Copa do Mundo começou. E começou com tudo.