Na manhã desta quarta-feira (27), o Fluminense voltou a trabalhar a parte física no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca. Sob orientação do preparador Marcos Seixas, os jogadores foram divididos em dois grupos para que pudessem ter um acompanhamento mais individualizado.

Antes da suar a camisa na academia, o elenco se reuniu com o novo técnico Marcelo Oliveira. Apresentado na última segunda, o comandante, que, a todo tempo, esteve acompanhado de seus auxiliares, ainda busca se inteirar mais do cotidiano do grupo tricolor.

Por conta do jogo entre Brasil e Sérvia no estádio do Spartak, em Moscou, pela Copa do Mundo, na Rússia, [VIDEO] o Fluminense só voltará aos treinamentos na quinta, dia de atividade em período integral.

A expectativa é de que haja o primeiro contato com bola e, com isso, o esboço dos titulares. Marcelo Oliveira já avisou que, diferentemente de seu antecessor, Abel Braga, não adotará o esquema de três zagueiros.

O próximo compromisso oficial do Fluminense acontece na quinta-feira, 19 de julho, às 20h (de Brasília), em São Januário, no clássico carioca diante do Vasco pela reabertura do Campeonato Brasileiro. Até lá, a agremiação das Laranjeiras realizará alguns amistosos.

"Primeira conversa que tive com o Marcelo Oliveira. Estavam esboçando programação. Parece que tem dois jogos-treino, em princípio, podendo ser três, neste período", assegurou o gerente-executivo de futebol, Paulo Angioni, sem revelar quem seriam os adversários.

Outro foco de atenção é a chegada de reforços. Segundo o técnico Marcelo Oliveira quanto o gerente-executivo Paulo Angioni, o planejamento é que três jogadores venham a ser contratados pelo Fluminense.

Alvos e posições foram mantidos em sigilo. Nos bastidores, são falados os nomes do meia Camilo, que não vem sendo aproveitado no Internacional-RS, do zagueiro Juninho e do volante Jean, ambos encostados no Palmeiras. Um atacante de velocidade também poderia vir.

"Eu disse que sim (contratações), até pela relação que temos, conseguiríamos viabilizar alguns nomes dentro da realidade. A operação tem de ser dentro dos limites e do orçamento do Fluminense", explicou Angioni.

Depois de um bom começo, quando ocupou a vice-liderança, o Flu [VIDEO] vem de um jejum de cinco partidas sem vitórias, sendo quatro derrotas seguidas (Paraná, Flamengo, Atlético-MG e Santos), no Brasileirão. Com esse retrospecto, o Tricolor, somando 14 pontos, despencou na tabela e, no momento, ocupa o 12º lugar no principal certame do futebol nacional.