A novela envolvendo a renovação de contrato do volante Léo Cittadini com o Santos já vem se arrastando há pelo menos dois meses. Com seu atual acordo vencendo em dezembro, o jogador de 24 anos nas próximas semanas já estará livre para assinar contrato com qualquer outra agremiação. Temendo perder o jogador sem que o clube tenha nenhuma contrapartida e visivelmente irritado com a situação, o presidente santista José Carlos Peres perdeu de vez a paciência e decidiu dar um ultimato ao atleta.

Publicidade
Publicidade

“Se não quiser fechar contrato, não vai jogar”, disparou o mandatário alvinegro. “Não vamos jogar com quem tem contrato para terminar em seis meses”, completou. A declaração foi dada durante entrevista concedida logo após reunião com o Conselho Gestor do clube. Peres afirmou que havia feito uma proposta muito boa para o jogador, mas que até aquele momento não obteve resposta.

Peres descartou que a ameaça se trate de castigo e disso que isso é uma questão de ordem.

Publicidade

O temor do dirigente é que se repita o que aconteceu com Lucas Limas no final do ano passado, que também não renovou seu contrato e saiu sem custos para o Palmeiras. Na ocasião, o ex-camisa 20 alvinegro foi afastado nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro. “Não pode acontecer o que aconteceu com Lucas Lima, jogando sem cabeça e foi embora”, lembrou.

O primeiro imbróglio envolvendo a renovação do jogador, o valor da multa rescisória, já havia sido resolvido.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Santos PaixãoPorFutebol

No entanto, agora são os valores salariais que têm emperrado as conversas. Na visão dos dirigentes santistas, a pedida feita pelos representantes do atleta é considerada alta para um jogador que ainda não é titular absoluto da equipe. O jogador teve apenas neste ano uma sequência no time titular desde que foi promovido aos profissionais, ainda em 2013.

Jaílson

Outro nome levado em pauta durante a entrevista foi do gremista Jaílson, cujo Santos havia demostrado interesse, porém, o negócio pode não acontecer nesse ano.

O motivo pelo esfriamento das conversas é o fato do atleta já ter defendido o Grêmio tanto na Copa Libertadores da América quanto na Copa do Brasil, competições em o Santos ainda está na briga pelo título.

“Esse é um dos problemas que temos de resolver (sobre o jogador já ter jogador por essas duas competições). A gente não desistiu. O Comitê de Gestão estudou uma série de reforços. Entre eles está o Jaílson”, disse o presidente, prometendo uma definição para depois do jogo diante do Fluminense, nesta quarta-feira (13), no Maracanã, o último antes da parada para da Copa.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo