Há 4 anos, exatamente no dia 8 de julho de 2014, o Brasil sofreu sua derrota ao perder por 7 a 1 para a seleção alemã no estádio do mineirão em Belo Horizonte, jogo válido pelas semi finais daquela Copa.

O Futebol brasileiro passou por um momento de reflexão, especialistas apontavam para o fracasso como o fim do futebol arte brasileiro e os técnicos pátrios foram execrados pela mídia nacional, para muitos a seleção deveria contratar um técnico europeu, com visão mais moderna sobre o futebol, vez que os técnicos brasileiros estavam ultrapassados.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Isso refletiu em alguns clubes que passaram a contratar técnicos estrangeiros, como o São Paulo e Palmeiras, mas a prática não foi adotada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que preferiu apostar novamente no técnico Dunga, que já havia comandado a seleção canarinha na Copa de 2010, na África.

O resultado, entretanto, não foi o esperado. Sob o comando do gaúcho Dunga, a Seleção Brasileira continuou mostrando um fraco futebol, irritando e afastando grande parte da torcida brasileira. O time de Dunga conquistou resultados pífios nas eliminatórias para Copa da Rússia [VIDEO] e uma possível eliminação para a Copa de 2018 passou a ser uma realidade, o que configuraria a primeira da história.

Os brasileiros têm muito orgulho em ser o único país a disputar todas as edições da Copa do Mundo, desde sua primeira em 1930 no Uruguai, essa possibilidade fez a CBF tomar uma atitude: demitir o técnico Dunga, após o fracasso na Copa América de 2016.

A chegada do técnico Tite e a retomada do bom futebol

Na noite de 14 de junho de 2016, a CBF anunciou a contratação do técnico Tite [VIDEO], multi campeão pelo Corinthians, time pelo qual o treinador conquistou os títulos Paulista (1), Brasileiro (2), Libertadores da América (1), Recopa Sul-americana (1) e Mundial Interclubes (1) num intervalo de tempo de 5 anos.

Tite trouxe sua filosofia à seleção brasileira e foi rapidamente assimilada pelos seus comandados, os resultados não demoraram a aparecer, foram 9 vitórias seguidas, 8 pelas eliminatórias da Copa, o que colocou o time na primeira posição do torneio - quando Tite assumiu o comando, a seleção ocupava a 6º posição - e 1 amistoso.

Com um futebol de encher os olhos e os bons resultados, Tite devolveu a esperança e o orgulho dos brasileiros pelo seu futebol, herança de garrincha, Pelé e tantos outros grandes craques do futebol mais vitorioso do mundo. A pátria de chuteiras nos pés voltou a abraçar a sua seleção.

Chegou o momento de virar a página e buscar o tão desejado hexa

A Copa do Mundo da Rússia é a oportunidade do torcedor brasileiro virar a página e retomar o título de país do futebol e essa expectativa cresceu à medida em que o time foi vencendo de forma convincente seus adversários ao longo da trajetória do técnico Tite à frente da seleção penta campeã.

De humilhada na Copa do Brasil em 2014, a seleção chega à Copa da Rússia como favorita [VIDEO], fato atribuído por todos os seus adversários e especialistas de todo o mundo, haja vista os excelentes números da seleção sob o comando de Tite, ao todo foram 21 jogos, 12 pelas eliminatórias e 9 amistosos, sendo 17 vitórias, 3 empates e 1 derrota (em amistoso).

A seleção fez 47 gols e sofreu apenas 5.

Os números e o bom futebol apresentado chamam à atenção de todos os apaixonados pelo futebol espalhados por todo o globo terrestre. O "mundo da bola" vai parar hoje às 15h (horário de Brasilia) para assistir ao jogo da "amarelinha" na esperança de ver mais uma boa atuação do selecionado brasileiro.

A Copa começa para os brasileiros com a esperança renovada, rumo ao hexa!