A segunda partida do grupo A da Copa do Mundo [VIDEO], entre Uruguai [VIDEO] e Egito [VIDEO], ocorreu nesta sexta-feira (15), às 9h, na Arena Ecaterimburgo, e terminou com um resultado de 1 a 0 para os bicampeões do mundo. A Celeste iniciou o torneio encontrando dificuldades para abrir o placar, desperdiçou oportunidades claras de marcar, mas aos 44 minutos da etapa final, Gimenez, de cabeça, aproveitando cobrança de falta de Sánchez, garantiu os três pontos para sua seleção.

Depois de observar a Rússia levar a melhor em cima da Arábia Saudita, por 5 a 0, um dia antes de começar sua trajetória na competição, os sul-americanos superaram os egípcios e chegaram a segunda colocação.

O time comandado pelo técnico Oscar Tabarez, veio a campo com Muslera, Varela, Giménez, Godin, Caceres, Vecino, Betancur, Nández, Arrascaeta, Suárez e Cavani.

Já os Faraós, treinados por Hector Cuper, foram escalados com El Shenawy, Fathi, Ali Gabr, Hegazy, Abdelshafy, Tarek Hamed, Elneny, Warda, Abdalla, Treziguet e Marwan. Mesmo com a ausência de Mohamed Salah entre os titulares, e sem a entrada do atleta no decorrer da partida, os africanos deram trabalho para o rival.

O aspecto defensivo com uma forte postura procurou evitar deixar espaços, principalmente para os dois atacantes badalados. Nas ocasiões em que Suárez teve chance de balançar as redes, ele não conseguiu finalizar com sucesso.

Aos 23’ do primeiro tempo o número nove perdeu um gol feito: aproveitando bola desviada na área, Suárez, frente a frente com o goleiro, chutou para fora.

No lance inaugural da etapa complementar o atacante do Barcelona saiu novamente em condições de marcar, mas o arqueiro El-Shenawy defendeu com a perna direita.

Em mais um bom momento ofensivo o Uruguai quase chegou lá, Cavani deu uma bela assistência para deixar Suárez em condições de arrematar, mas a tentativa de driblar o goleiro, aos 27’, acabou nas mãos do defensor.

O centroavante do Paris Saint-Germain, protagonizou dois lances incríveis na sequência do espetáculo, de muita técnica e inteligência nas conclusões. As tentativas só não resultaram em gol, porque aos 37’, El-Shenawy espalmou um chute, de forma brilhante, e aos 42’, uma cobrança de falta do craque acertou a trave.

Quando a probabilidade do confronto ficar no empate sem gols aumentava, José Giménez subiu mais que os zagueiros adversários, em cobrança de falta de Sánchez aos 44’, e testou firme para colocar a bola para dentro; 1 a 0 para a Celeste, e festa no final do jogo. O árbitro holandês Bjorn Kuipers encerrou o duelo aos 51´, pouco tempo depois de mostrar o único cartão amarelo do confronto para o egípcio Hegazy.

A seleção do Egito volta à ação na terça-feira (19), às 15h, contra a Rússia, em São Petersburgo, e o Uruguai na quarta-feira (20), às 12h, encara a Arábia Saudita, em Rostov (ambas as partidas pelo horário de Brasília).

Substituições

  • Egito- Hamed por Morsy, Mohsen por Kahraba e Warda por Sobhi.
  • Uruguai- Nández por Carlos Sánchez, Arrascaeta por Cristian Rodríguez e Vecino por Torreira.