O Uruguai [VIDEO]foi à Arena Samara, nesta segunda-feira (25), às 11 horas (horário de Brasília) medir forças com a anfitriã da Copa do Mundo [VIDEO], Rússia [VIDEO], e conseguiu levar a melhor sobre o time da casa. Suárez e Cavani marcaram um gol cada e Cheryshev fez contra, depois de tentar interceptar um chute de longa distância de Laxalt.

Com um ótimo rendimento na defesa durante a primeira fase, os sul-americanos passaram para a fase mata-mata do torneio sem sofrer gols, além de converter cinco a favor. Apresentando um Futebol mais pragmático nas atuações iniciais, quando ganhou do Egito e Arábia Saudita por 1 a 0, demonstrando um espírito aguerrido, mas com pouca eficiência na criação e nos arremates, a Celeste se mostrou diferente, e foi às redes russas três vezes, contrariando o desempenho ofensivo dos últimos compromissos.

Quem abrio a contagem foi Luis Suárez, de falta, aos nove minutos do primeiro tempo do duelo: o atacante que atualmente possui 53 tentos representando sua pátria, cobrou forte, rasteiro, no canto do arqueiro Akinfeev, que não teve tempo de reação para impedir a alegria do número 9.

Exercendo um ritmo que detinha o domínio do espetáculo, o segundo gol não tardou a acontecer, normalmente o responsável pelo chute que resultou no 2 a 0, seria reconhecido como o pé que colou a bola lá dentro, mas o lance de Laxalt não teve a mesma constatação, aos 22’. Aproveitando escanteio, ele dominou a redonda e disparou com a perna esquerda... no meio do caminho ela desviou em Cheryshev, pingou no gramado e entrou no cantinho, o árbitro senegalês, Malang Diedhiou, atribuiu a concretização do fato ao russo.

Um fator que reduziu bastante a força da seleção do país que sedia a competição foi a expulsão de Smolnikov, o lateral-direito foi advertido com um cartão amarelo aos 27’ da etapa inicial, e posterirormente recebeu outro da mesma cor, aos 37’, por consequência foi expulso, deixando seus companheiros com um a menos. A essa altura o placar já estava 2 a 0 para o Uruguai, porém o espetáculo aparentou outro andamento no segundo tempo.

O plantel treinado por Stanislav Cherchesov, tentou reagir e procurou ficar mais no campo de ataque, mesmo com a desvantagem numérica, criou algumas chances para diminuir o prejuízo e dar esperança ao maior público até aqui do estádio de Samara, que contou com 41.970 pessoas. Grande parte da torcida incentivava os donos da casa, porém a imprecisão nas investidas à meta de Muslera, não permitia que a diferença fosse diminuída.

Quando as duas equipes retornaram do intervalo, a dinâmica da disputa mudou, empurrada pela massa que fazia barulho, mesmo com 34° graus de temperatura, a Rússia demonstrou uma postura mais incisiva e objetiva, entretanto, a deficiência apresentada nas assistências e na conclusão, não trouxeram novidades positivas.

Mesmo rondando a área do Uruguai, os russos quase não conseguiram agredir, a não ser em um chute torto de Dzyuba, aos 28’, que saiu pela linha de fundo sem incomodar o arqueiro do Galatasaray.

Agindo de maneira oposta, Cavani não desperdiçou a oportunidade que surgiu aos 44’: posicionando-se para esperar o rebote, após cobrança de escanteio, o número 21 foi oportunista para guardar o terceiro. Depois da boa defesa de Akinfeev, impossibilitando que o zagueiro Godín fizesse o dele, o artilheiro pegou a sobra e empurrou a bola para o fundo das redes.

Para este encontro Stanislav Cherchesov, optou pelo esquema 4-5-1, e escalou: Akinfeev, Smolnikov, Kutepov, Ignashevich, Kudriashov, Samedov, Zobnin, Gazinsky, Cheryshev, Miranchuk e Dzyuba. O treinador uruguaio Óscar Tabárez, veio no 3-5-2, com Muslera, Caceres, Godín, Coates, Nandez, Vecino, Torreira, Bentancur, Laxalt, Edinson Cavani e Luis Suárez.

Oitavas de final

As oitavas de final para os dois países acontecerão no final de semana, a Celeste enfrentará Portugal, no sábado, dia (25), às 15 horas, no Estádio Fisht, enquanto a Rússia pega a Espanha, no domingo, (26), no Estádio Lujnik, às 11h (ambos os jogos pelo horário de Brasília).

Cartões amarelos

  • Rússia- Gazinsky e Smolnikov (duas vezes, consequentemente foi expulso).
  • Uruguai- Rodrigo Bentancur.

Cartão vermelho

  • Rússia- Smolnikov.

Substituições

  • Rússia- Cheryshev por Mário Fernandes, Gazinsky por Kuzyayev e Miranchuk por Smolov.
  • Uruguai- Bentancur por De Arrascaeta, Nandez por Cristian Rodríguez e Cavani por Maximiliano Gómez.