Os momentos finais da transmissão da final da Copa do Mundo 2018 na Rússia, exibida pela Rede Globo [VIDEO], trouxeram lágrimas, emoção e algumas surpresas aos espectadores e profissionais que faziam a cobertura esportiva da emissora carioca. A mensagem final do comentarista Casagrande, em meio a lágrimas, sobre a sua batalha para se manter longe das drogas, foi o ponto alto do fim da transmissão, mas a despedida de Arnaldo Cezar Coelho, depois de 30 anos como comentarista de Futebol, também trouxe emoção e surpresa aos que acompanhavam a comemoração francesa após o título mundial.

No campo, a festa foi linda. Com Will Smith cantando em grande estilo e a ovacionada participação de Ronaldinho Gaúcho, tocando um instrumento de percussão, a cerimônia de encerramento deu o tom do que viria longo depois.

França e Croácia demonstraram durante os noventa minutos de jogo os motivos de terem chegado à final da Copa do Mundo [VIDEO]. Com alto nível técnico e tático dos dois lados, sobressaiu-se a maior capacidade física e de decisão dos franceses para fazer 4 a 2 e conquistar o Bicampeonato mundial.

E, após mostrar a entrega da taça e a festa francesa em campo, começou o momento de revelações e emoção na transmissão da Globo. Primeiro foi o comentarista Casagrande, que em meio às lágrimas agradeceu a meta alcançada de ter começado e terminado os trabalhos na Rússia sóbrio, sem consumir drogas. Vale lembrar que Casagrande vem de um longo período de luta para se livrar do vício em drogas que causou tantos problemas a sua vida pessoal e profissional nos últimos anos.

Logo após a fala e choro de Casagrande e Galvão Bueno, foi a vez de Arnaldo Cezar Coelho revelar que aquela seria sua última transmissão de Copa do Mundo como comentarista de arbitragem.

O ex-árbitro fez uma breve retrospectiva de sua carreira nos gramados, tendo seu auge ao apitar a final da Copa do Mundo de 1982, e como comentarista de arbitragem na Rede Globo, ao longo de trinta anos.

Arnaldo agradeceu muito aos anos de convívio com toda a equipe da emissora carioca, exaltando o bom ambiente que teve com todos os setores da empresa em três décadas de trabalho. Justificou sua decisão afirmando que era chegado o momento de descansar e curtir a família. Além disso, ressaltou que gostaria de se dedicar no futuro a planos e negócios pessoais que possui.

Na despedida final da transmissão, Galvão Bueno deixou em aberto sua participação no próximo mundial em 2022, no Catar. Visivelmente emocionado, o narrador agradeceu a toda equipe da Rede Globo que trabalhou durante o mundial e aos telespectadores que acompanharam esse um mês de futebol na emissora.