As emoções da final da Copa do Mundo na Rússia não ficaram somente limitadas ao gramado, em um grande jogo, onde a França conquistou seu segundo título ao bater a Croácia por 4 a 2. Já no encerramento da transmissão, quando a equipe da Rede Globo fazia suas considerações finais, o comentarista de arbitragem Arnaldo Cézar Coelho revelou que está se aposentando, enquanto que o ex-jogador Walter Casagrande se emocionou ao lembrar que fez a sua primeira Copa sóbrio. Já o narrador Galvão Bueno [VIDEO] afirmou que esta pode ter sido sua última cobertura de Copa.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal PaixãoPorFutebol

“Já que o momento é de emoção, deixa eu contar uma coisa. A vida da gente é feita de fases”, iniciou Arnaldo, que foi o árbitro da decisão de 1982. “Eu tive minha fase como árbitro, eu tive minha fase como comentarista e quero dizer que está chegando ao fim esta fase”.

O comentarista agradeceu a todos os escalões da Rede Globo [VIDEO]e justificou a decisão alegando que precisava descansar e também se dedicar mais à família e aos negócios. “A Rede Globo em ensinou muita coisa e eu consegui ensinar muita coisa aos telespectadores”.

Sem conter a emoção, Galvão agradeceu ao amigo pelos 30 anos trabalhando junto, pelos conselhos e por tudo que recebeu e destacou a importância do trabalho de Arnaldo nas transmissões de futebol da emissora. “Você abriu um caminho, uma estrada nova para uma produção para ex-árbitros”.

Casagrande se emociona ao fazer Copa sóbrio

Antes da despedida de Arnaldo Cézar Coelho, quem tomou a palavra foi o comentarista Walter Casagrande, que durante anos lutou contra o vício das drogas e celebrou o fato de ter conseguido fazer um mundial totalmente sóbrio.

“Essa é a Copa mais importante da minha vida”, iniciou o comentarista, afirmando que quando saiu do Brasil, foi para a Rússia com uma proposta que era “chegar pela primeira vez numa Copa sóbrio, permanecer sóbrio e retornar para a casa sóbrio”. Após a fala houve um silêncio, e nitidamente pode se ouvir o choro do comentarista, uma vez que a transmissão mostrava imagens de dentro do campo.

“Parabéns, Casão! Que Deus te abençoe”, disse um emocionado Galvão Bueno, que ao tomar a palavra relevou que aquela pode ter sido sua última cobertura de Copa do Mundo. Já tendo trabalhado em 12 mundiais, o primeiro em 1974, o locutor de 67 anos deixou em aberto sua presença nas cabines de transmissão no Catar. “Quero continuar trabalhando, é minha vida. Mas vamos resolver tudo com calma...”, disse.