A jornada de futebol em Kazan, na Rússia, nesta sexta-feira, não sairá tão cedo da memória dos torcedores brasileiros. Com apenas um gol tomado até então e sem derrotas em jogos oficiais desde a chegada do técnico Tite, o Brasil amargou uma inesperada derrota por 2x1 para a Bélgica, que representou a eliminação brasileira na Copa do Mundo de 2018.

O desenrolar do jogo começou a ficar nebuloso para o Brasil ainda antes dos 15 minutos da etapa inicial. Após escanteio batido na primeira trave, o zagueiro belga Kompany desviou a bola no braço de Fernandinho, que deu velocidade em direção à goleira.

Publicidade

O gol contra brasileiro inaugurou o placar e deu vida ao sonho belga em vencer o Brasil em uma Copa, o que jamais havia acontecido até então.

O que já era ruim ficou ainda pior antes do intervalo. O centroavante Lukaku, de ótima partida, protagonizou uma belíssima arrancada pelo meio e abriu o jogo na ponta direita. De Bruyne deu sequência à jogada e estufou as redes de Alisson: 2x0.

As opções de Tite para uma reação foram Roberto Firmino, Douglas Costa e Renato Augusto. Dos três, quem mais ajudou foi Renato Augusto, que, já no segundo tempo, marcou um gol de cabeça e recolocou o Brasil no jogo.

Dali em diante, a seleção brasileira pressionou até o fim e consagrou o goleiro belga Courtois, um dos nomes da partida com no mínimo três defesas salvadoras.

No apito final do árbitro, os jogadores belgas celebraram muito no gramado e se abraçaram como forma de vibrar com a grande classificação. Já os brasileiros saíram desconsolados de campo com a certeza de que o sonho do hexacampeonato foi adiado para o Catar, em 2022.

As explicações do técnico Tite

Em sua entrevista coletiva, o técnico Tite procurou não individualizar nenhum comentário, mas, sobre Fernandinho, fez questão de dizer que o volante "joga muito".

Publicidade

Habitual reserva da seleção, ele foi o escolhido pelo treinador para substituir Casemiro, que estava suspenso contra a Bélgica por conta do terceiro cartão amarelo.

Entre os torcedores brasileiros, Fernandinho acabou sendo considerado um dos vilões por ter feito o gol contra e ter sido driblado por Lukaku no segundo gol. Ele já havia tido um desempenho contestável na história derrota por 7x1 para a Alemanha na semifinal de quatro anos atrás.

Visivelmente abalado na parte emocional, Tite deu respostas longas e intervaladas, além de ter suspirado mais de uma vez durante a coletiva.

Ele reconheceu o sofrimento pela eliminação, justamente na única derrota em jogo oficial dos 26 em que comandou o Brasil desde a sua contratação na segunda metade de 2016.

"Que grande jogo de futebol, cara. Foram oportunidades aqui, oportunidades lá... realmente me dói estar falando isso, mas quem aprecia um grande futebol, vai ver que foi um grande espetáculo. Por mais amargo que esteja agora, por mais difícil que seja estar falando com vocês agora", destacou o técnico da seleção brasileira.

Outra opção de Tite para esta partida que acabou contestada foi a escalação de Marcelo.

Publicidade

Ele já não havia disputado os dois últimos jogos por conta de um problema muscular nas costas e, em sua ausência, Filipe Luís fez bons jogos e deu conta do recado, sobretudo na parte defensiva, que foi um problema do Brasil na jornada derradeira desta sexta-feira.

Classificada, a Bélgica persegue agora o sonho do seu primeiro título de Copa do Mundo em toda a história. Na semifinal, encarará a França, que também nesta sexta-feira venceu o Uruguai por 2x0, em jogo marcado por uma enorme falha do goleiro uruguaio Fernando Muslera. A outra semifinal será conhecida amanhã com os jogos entre Croácia x Rússia e Suécia x Inglaterra.