O futebol gaúcho amanheceu de luto nesta segunda-feira (23). Campeã estadual no ano passado, dirigindo a modesta equipe do Novo Hamburgo, o técnico Beto Campos morreu em sua casa [VIDEO], na cidade de Santa Cruz do Sul, no interior gaúcho, durante a madrugada. As primeiras informações dão conta de que o treinador, de 54 anos, tenha sofrido um infarto enquanto dormia.

Gilberto Cirilo de Campos ficou conhecido nacionalmente após conduzir o Novo Hamburgo ao inédito título de campeão na temporada passada após bater o Internacional nos pênaltis. A conquista também levou a equipe do interior gaúcho a disputar o Campeonato Brasileiro da Série D.

O titulo também rendeu frutos ao treinador [VIDEO] para buscar voos maiores na carreira e ele foi convidado para dirigir o Náutico na Série B, porém a má fase do time pernambucano fez com que sua passagem no Timbu fosse curta. Ele voltou ao clube gaúcho ainda em 2017 e antes do final do ano voltou a trabalhar em um time da Série B, após ser “emprestado” ao Criciúma, que lutava contra o rebaixamento.

Neste ano, ele esteve à frente do Novo Hamburgo até o mês de março. Sem conseguir repetir o sucesso do ano anterior, o time teve que lutar contra o rebaixamento, ficando livre da queda apenas na última rodada. Após a campanha, o treinador deixou o comando do time e desde então estava sem clube.

“Teu nome está gravado em nosso pavilhão, Beto! Força à família!”, escreveu o Novo Hamburgo em suas redes sociais.

A mensagem acompanhava uma foto do treinador segurando a taça de campeão estadual, maior conquista do time até então.O corpo será velado em Santa Cruz do Sul e em São Borja

Começou no futsal

A carreira de Beto Campos começou no início dos anos 80. Sem passar pela base do futebol, ele inicialmente jogava futebol de salão na cidade de São Borja. Em 1982, o clube da cidade realizou um amistoso e para completar a equipe chamou alguns jogadores da base e outros jovens atletas da cidade. Beto foi um deles e sua atuação agradou os dirigentes e ele foi contratado.

Cinco anos depois ele se transferiu para o Santa Cruz, da cidade de Santa Cruz do Sul, onde acabou se ramificando, casando e tendo filho. Ele ainda rodou por vários times do interior gaúcho até pendurar as chuteiras em 2001. No ano seguinte, já estava à beira do gramado trabalhando como treinador. Antes de ser campeão da primeira divisão com o Novo Hamburgo, Campos levantou dois títulos da segundona gaúcha, com o Avenida em 2011 e a segunda em 2016 com o Caxias.