A Copa do Mundo da Rússia [VIDEO] ainda está na metade de suas quartas de final, mas duas coisas já estão certas a partir do momento que foi decretada a eliminação da Seleção Brasileira: o campeão será europeu e o torneio terá uma inédita decisão.

Com a França, a qual o Brasil fez a final em 1998, do mesmo lado da chave, a única possível repetição de final seria um confronto entre os brasileiros e seleção da Suécia, que neste sábado encara Inglaterra, às 11 horas (Brasília), porém a queda do time de Tite não permitirá que isso ocorra, e assim como foi em 2010, quando Espanha e Holanda decidiram o título, o jogo que apontará o campeão será inédito nesta fase.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal PaixãoPorFutebol

A ausência da Itália, e a queda precoce campeões, como Alemanha, Espanha e Argentina, também trará a possibilidade de dois times chegarem pela primeira vez a uma decisão. Além dos franceses, que já estão nas semifinais, e dos belgas, os únicos times que ainda seguem vivos na competição que já tiveram o privilégio de jogar uma final é a Inglaterra, campeã de 1966.

Aliás, falando em campeões, é muito grande a chance de um título inédito também acontecer em solo russo. Dos que já levantaram o caneco, apenas a França já está nas semifinais e busca vencer pela segunda vez, assim como os ingleses, que ganharam em 1966, quando sediaram o torneio.

Desde 2002 Brasil não elimina um europeu

A derrota do Brasil para a Bélgica também fez aumentar um tabu que já está se tornando incomodo. Desde 2002 [VIDEO], quando bateu a Alemanha por 2 a 0 e conquistou o pentacampeonato mundial, o time brasileirão não elimina um europeu em mata-mata de Copa do Mundo. Desde então foram quatro eliminações e cinco derrotas. Nesse levantamento não estão sendo consideradas as vitórias nas fases de grupos, apenas a partir das oitavas.

A sina começou já em 2006, na Alemanha, quando o então time dirigindo por Carlos Alberto Parreira, perdeu por 1 a 0 para a França pela quartas de final, naquela partida que também marcou o fim de uma era, com Ronaldo, Roberto Carlos, Cafu e Dida fazendo o último jogo pelo time nacional.

Na Copa de 2010, também na fase de quartas de final, a queda foi para a Holanda, quando o time perdeu pro 2 a 1 de virada. Em 2014, já pela fase semifinal, veio o histórico vexame, com a goleada por 7 a 1 sofrida para a Alemanha no Mineirão. Para colocar a cereja no bolo, na decisão de terceiro lugar, o time de Felipão foi facilmente batido pela Holanda por 3 a 0. A derrota desta sexta por 2 a 1 estenderá por pelo menos mais quatro anos o tabu.